Economia

Ex-CEO da petroquímica Braskem se declara culpado por suborno nos EUA

Crédito: AFP/Arquivos

Logo da Odebrecht, em São Paulo (Crédito: AFP/Arquivos)

O ex-CEO da petroquímica brasileira Braskem, subsidiária da construtora Odebrecht, se declarou culpado nesta quinta-feira (15) de acusações nos Estados Unidos ligadas a um esquema de suborno no valor de cerca de US$ 250 milhões, informaram autoridades americanas.



José Carlos Grubisich, cidadão brasileiro de 64 anos, admitiu estar envolvido em um esquema de suborno “para obter e manter negócios” em violação da lei americana, informou o Departamento de Justiça.

+ Novonor retoma processo de venda da petroquímica Braskem

A promotoria informou que, entre 2002 e 2014, Grubisich, que foi CEO e conselheiro da Braskem e ocupou diversos cargos na Odebrecht, participou de um plano para subornar funcionários do governo brasileiro em violação à Lei de Práticas de Corrupção no Exterior (FCPA) dos Estados Unidos.

Grubisich reconheceu que concordou em pagar subornos para garantir um contrato para um importante projeto para a Petrobras, informou o Ministério Público.

+ O economista Paulo Gala revela os caminhos para investir bem em 2022



Ele também admitiu ter falsificado os livros da Braskem ao registrar pagamentos a empresas fantasma offshore, como sendo pagamentos por serviços legítimos.

Além disso, reconheceu não certificar com precisão os relatórios financeiros da Braskem apresentados à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC).

Como parte de sua confissão de culpa, Grubisich concordou em pagar cerca de US$ 2,2 milhões pelo confisco.

Grubisich foi preso em Nova York em novembro de 2019, respondendo a três acusações relacionadas a suborno e abusos do sistema financeiro americano.

Sua sentença, prevista para 5 de agosto, pode levar à pena máxima de 10 anos de prisão.

Em dezembro de 2016, a Braskem e a Odebrecht confessaram-se culpadas em Nova York por terem violado as disposições contra suborno da FCPA.

Essas então concordaram em pagar multas de cerca de 3,5 bilhões de dólares a autoridades nos Estados Unidos, Brasil e Suíça para resolver casos de suborno que incluíam vários países latino-americanos.


Saiba mais
+ SP: Homem morre em pé, encostado em carro, e cena assusta moradores no litoral
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ Andressa Urach pede dinheiro na internet: ‘Me ajudem a pagar a fatura do meu cartão’
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto