Economia

Evergrande honra pagamento de bônus offshore (jornal estatal)

Evergrande honra pagamento de bônus offshore (jornal estatal)

Os temores de um colapso do grupo e da repercussão do mesmo na economia chinesa preocupam os mercados - AFP/Arquivos

A endividada gigante do setor imobiliário chinês Evergrande cumpriu o pagamento dos juros de um bônus offshore, na véspera do vencimento do prazo máximo, informou o jornal estatal “Securities Times”.



Os temores de um colapso do grupo e da repercussão do mesmo na economia chinesa preocupam os mercados e levaram à queda das ações do conglomerado, que voltaram a ser negociadas nesta quinta-feira, depois de duas semanas.

Nesta sexta-feira (horário local), o Securities Times informou, citando “fontes relevantes”, que a empresa havia enviado uma ordem de pagamento de US$ 83,5 milhões, que deveria ter sido reembolsada inicialmente em 23 de setembro. Os donos do título devem receber o pagamento antes de sábado, quando termina o período de carência.

A gigante imobiliária, que tem uma dívida de mais de US$ 300 bilhões, está no limbo há semanas e reconheceu nesta quarta-feira que “não há garantias de que conseguirá honrar suas obrigações financeiras”. Pequim, no entanto, insistiu em que os riscos associados a uma eventual falência da Evergrande podem ser controlados.




Veja também
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Motorista deixa carro Tesla no piloto automático e dorme em rodovia de SP
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Lago Superior: a melhor onda de água doce do mundo?