Ciência

Europa recebe o verão de olho no retorno da covid-19

Crédito: AFP/Arquivos

Muitos países europeus enfrentam um novo aumento de casos de covid (Crédito: AFP/Arquivos)



O verão chega à Europa coincidindo com um aumento de casos de coronavírus, causado por novas subvariantes da ômicron, o que obriga as autoridades a aumentar as precauções.

– Casos em ascensão na Europa –

Muitos países europeus enfrentam há algumas semanas uma nova aceleração das contaminações.

O primeiro país afetado é Portugal, que viu em maio um aumento de novos casos, chegando a quase 30 mil diariamente no início de junho. A onda então começou a diminuir.

No Reino Unido, as infecções diárias estão novamente no nível mais alto desde o início da pandemia.



Também afetada, a Itália registrou 30.526 novos casos em 24 horas (de sábado a domingo), com aumento de 63,4% em 7 dias, segundo o último relatório do Ministério da Saúde.

A Alemanha experimenta o mesmo e a França também não é poupada, com uma circulação acelerada do SARS-CoV-2 há cerca de dez dias e uma taxa de contaminação de mais de 44.000 casos (em média ao longo de sete dias).

– Novas subvariantes –

O aumento de casos é explicado pela conjunção de dois efeitos, disse à AFP Mircea Sofonea, professor de epidemiologia da Universidade de Montpellier.


Por um lado, uma “baixa imunitária”, ou seja, “a proteção conferida pela infecção ou as doses da vacina diminuem com o tempo”.

Por outro lado, a chegada de novas linhagens da ômicron, BA.4 e principalmente BA.5.

“BA.5 e, em menor grau, BA.4, estão se espalhando na Europa”, acrescenta. “Dados epidemiológicos mostram que seria 10% mais contagiosa que BA.2, e por isso se torna predominante”.

– Alta das internações? –

Sobre a gravidade de BA.5, “é prematuro se pronunciar na ausência de dados clínicos claramente estabelecidos”, diz Schwartz.

O Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC) julgou que, com base em dados ainda limitados, “não há evidências de que BA.4 e BA.5 estejam associadas a um aumento da gravidade da infecção em relação à as variantes circulantes BA.1 e BA.2”.

No entanto, como nas ondas anteriores, um aumento global nos casos de covid-19 pode levar a uma alta de hospitalizações e internações em terapia intensiva, alertou.

A população europeia está fortemente imunizada graças às vacinas e infecções passadas.

Isso confere uma proteção a priori mais forte contra o risco de uma forma grave da doença do que contra a possibilidade de uma nova infecção, o que deve limitar a magnitude do novo aumento de internações.

Na França, a “moderada recuperação econômica” nas últimas semanas “é acompanhada por um pequeno aumento nas internações” e pode conduzir a “uma alta” nas internações em terapia intensiva e óbitos, disse o professor Alain Fischer, presidente do Conselho de Orientação Estratégica em Vacinas.

Mas “nada de dramático acontecerá nos serviços de terapia intensiva”, garante o virologista alemão Klaus Stöhr.

– Novas restrições?

O ECDC exortou os países europeus a “permanecer vigilantes”, mantendo sistemas de teste e vigilância.

A Itália decidiu recentemente estender a obrigação de usar máscaras PFF2 nos transportes públicos (exceto em aviões) até 30 de setembro.

O presidente alemão da Associação Médica Mundial, Frank Ulrich Montgomery, defende a rápida adoção de um pacote que inclui o uso de máscaras, vacinação e limitação de contatos.

Na França, o governo pediu esta semana aos idosos que apliquem uma nova dose da vacina “o mais rápido possível”.







Tópicos

argentina 4ª onda covid argentina casos covid explodem maio 2022 argentina surto covid 2022 BA.4 e BA.5 gravidade da infecção BA.1 e BA.2 Bolívia tem surto de covid junho 2022 china bolsas restrições junho 2022 covid china covid surto junho 2022 china janelas coreia do norte contaminação covid china pandemia se agrava 2022 china xangai restrições junho 2022 confinamento china controle covid china junho 2022 covid casos mundo junho 2022 covid cresce fiocruz junho 2022 covid europa países covid explode china junho 2022 covid países europa variantes vacinas covid portugal surto junho 2022 covid ressurge 2022 covid ressurge em Portugal 2022 covid síndrome respiratória covid surto china junho 2022 covid surto em portugal covid surtos países junho 2022 covid total mortos BRasil covid verão europeu 2022 documentos covid verão europeu variantes dados covid brasil 2022 Europa julho covid transmissão europa verão 2022 vacinação grau de infecção verão europeu Lula tem covid lula testa positivo covid média de mortos brasil 2022 nova variante Brasil maio 2022 pandemia coreia do norte 2022 quarta dose brasil 2022 surto china covid 2022 surto covid brasil junho 2022 surto covid Coreia do norte surto covid coreia do norte maio 2022 surto covid pequim china 2022 surto covid xangai 2022 vacinação brasil 2022 vacinação nacional vacinados infectados imunidade variante variante delta variante delta países variante delta volta variante gama variante omicron ba 2 variante omicron é mais letal