Economia

Euro cai para seu valor mais baixo em relação ao dólar em 20 anos



O euro caiu, nesta terça-feira (5), ao seu nível mais baixo em relação ao dólar americano desde 2002, devido aos dados econômicos que indicam um crescente risco de recessão na zona do euro.

A moeda única europeia caiu em torno de 1% e ficou em US$ 1,03 por euro, seu nível mais baixo desde o final de 2002.

A incerteza da guerra na Ucrânia e os problemas com o fornecimento de gás russo que ela gerou pesam muito sobre a moeda europeia.

O dólar é ainda mais impulsionado por uma política monetária mais agressiva do Federal Reserve dos EUA (Fed, o Banco Central americano). Deste modo, o euro está próximo da paridade com o dólar pela primeira vez desde sua criação, em 1999.




Ibovespa recua abaixo de 97 mil pontos sem alívio em preocupações com recessão mundial

“Crescentes temores de uma recessão fazem o euro cair, enquanto o dólar sobe pela aposta de que o Fed manterá seus aumentos de taxas, agressivamente, para conter a inflação”, disse à AFP a especialista Fiona Cincotta, da City Index.

“Os dados do PMI [índice Composto de Gerentes de Compras] publicados [nesta terça] na Europa destacaram o risco de uma desaceleração do crescimento no final do segundo trimestre”, acrescentou.


Em junho, o crescimento da atividade econômica na zona do euro desacelerou, acentuadamente, no setor privado, até atingir seu nível mais baixo em 16 meses, de acordo com o PMI da S&P Global.

“Este é um sinal de que as economias estão realmente começando a sentir o aperto da inflação”, disseram analistas da OFX.

Como resultado, o índice fez o euro afundar ainda mais do que em 2016, quando a crise da dívida europeia e a votação do Brexit levantaram temores de que a União Europeia pudesse explodir.

– Alto risco –

A inflação se manterá alta no momento. Os preços da energia continuam subindo, devido a uma greve na Noruega, que limita a produção dos hidrocarbonetos.

“Os fortes aumentos do preço do gás e da eletricidade geram um alto risco de que a economia da UE entre em recessão antes do previsto”, afirmou Trevor Sikorski, analista da Energy Aspects, em um relatório.

Desde o início do ano, o preço do TTF holandês, a referência do gás natural na Europa, subiu quase 150% e, na terça-feira, alcançou 176,01 euros por megawatt/hora.

Antes da invasão russa da Ucrânia em 24 de fevereiro, estava abaixo dos 100 euros por megawatt/hora.

O Banco Central Europeu (BCE) tem pouca margem de manobra, já que um aumento das taxas de juros pode fazer a dívida de alguns países se tornar muito pesada.

Neste contexto, qualquer aumento do euro deve ser considerado “como uma recuperação de curto prazo”, alertou Fawad Razaqzada, analista da StoneX.

Ele teme que, sem uma grande mudança na questão ucraniana, ou do BCE, o euro continue a cair.

Desde o início do ano, o euro perdeu 9,4% em relação ao dólar.