Giro

EUA pedem eleições ‘livres e justas’ em Hong Kong após advertência da China

EUA pedem eleições ‘livres e justas’ em Hong Kong após advertência da China

(Arquivo) O secretário de Estado americano, Mike Pompeo - AFP/Arquivos

O chefe da diplomacia americana, Mike Pompeo, pediu nesta terça-feira eleições “livres e justas” em Hong Kong, depois que a China indicou que as primárias organizadas por partidos pró-democracia podem ter violado a nova lei de segurança nacional imposta àquele território autônomo.

“Felicitações aos pró-democracia de Hong Kong pelas primárias bem-sucedidas. As eleições legislativas de setembro devem ser igualmente livres e justas”, tuitou Pompeo.

Em declaração anexa, Pompeo assinalou que a participação de mais de 600 mil pessoas nas primárias mostrou “sua vontade de serem ouvidas, diante dos esforços do Partido Comunista Chinês para sufocar as liberdades daquele território”.

Pompeo expressou “grave preocupação” com a advertência chinesa, afirmando que a mesma mostra “o medo do Partido Comunista Chinês da democracia e liberdade de pensamento de seu próprio povo”.

A China impôs uma lei que criminaliza a subversão e outras ofensas percebidas, arrepiando Hong Hong, ao qual foi prometido um sistema separado antes de a Grã-Bretanha entregar o controle do teritório de volta à China, em 1997.

Veja também

+ Caixa libera FGTS emergencial para nascidos em julho nesta segunda-feira (10)

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?