Giro

EUA desloca porta-aviões Nimitz no Golfo Pérsico para compensar retirada de tropas

EUA desloca porta-aviões Nimitz no Golfo Pérsico para compensar retirada de tropas

Nesta imagem divulgada pela Marinha dos Estados Unidos, o porta-aviões USS Nimitz transita pelo Estreito de Ormuz em 18 de setembro de 2020. O grupo Nimitz passou pelo Estreito de Ormuz para entrar no Golfo em 18 de setembro, em meio às ameaças de Washington de aplicar as sanções da "ONU" sem o apoio dos parceiros do Conselho de Segurança, anunciou a Marinha dos Estados Unidos. - US NAVY/AFP

O Pentágono deslocou recentemente o porta-aviões USS Nimitz no Golfo Pérsico para compensar a retirada das tropas norte-americanas no Afeganistão, informou uma fonte militar no sábado (28), ao negar que esta estratégia se deva às ameaças depois do assassinato de um cientista nuclear iraniano.

“Nenhuma ameaça específica causou o retorno do grupo aéreo-naval Nimitz”, disse a capitã da fragata, Rebecca Rebarich, porta-voz da 5ª Frota que cobre o Oriente Médio.

Assim, a presença do porta-avião não está relacionada com o assassinato, na sexta-feira, de Mohsen Fakhrizadeh, um cientista iraniano de alto nível que trabalhava no setor nuclear, garantiu.

Rebarich confirmou que o “Nimitz retornou a (a área) da 5ª Frota em 25 de novembro”.

O porta-aviões havia cruzado em setembro o Estreito de Ormuz, uma passagem estratégica que o Irã ameaça bloquear constantemente, antes de se dirigir ao Pacífico.

Em um comunicado em separado, o Pentágono vinculou essa mobilização à “redução do número de militares norte-americanos deslocados no Iraque e no Afeganistão”, anunciado em 18 de novembro pelo novo secretário da Defesa interino, Christopher Miller.

Aproximadamente 2.000 soldados se retirarão do Afeganistão até 15 de janeiro, e outros 500 do Iraque, deixando apenas 2.500 soldados em cada país.

“O Departamento da Defesa norte-americano defenderá a segurança de suas forças, enquanto continuam protegendo os norte-americanos e nossos interesses no estrangeiro”, indicou o Pentágono.

Durante esta transição, “o departamento considerou prudente dispor de suas capacidade de defesa adicionais na região para responder a qualquer eventualidade”, afirmou.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel