Ciência

EUA aprovam tratamento com anticorpos contra Ebola

Crédito: AFP/Arquivos

(Arquivo) O tratamento reduziu significativamente a taxa de mortalidade por Ebola nos testes clínicos (Crédito: AFP/Arquivos)

Os Estados Unidos aprovaram nesta quarta-feira um tratamento com anticorpos sintéticos desenvolvido pelo laboratório Regeneron que se mostrou eficaz contra o Ebola.

Aprovado pela Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA), o tratamento usa a mesma tecnologia de um tratamento experimental contra a Covid-19 aplicado ao presidente americano. Segundo o chefe da agência, Stephen Hahn, a aprovação do tratamento mostra seu compromisso “em responder às ameaças contra a saúde, tanto no país quanto no exterior”.

Mais de 10 milhões de testes de covid-19 em quatro dias em cidade chinesa que registrou pequeno foco

Dia mundial chama atenção para importância de lavar as mãos

Batizado de Inmazeb, o tratamento é administrado de forma intravenosa e contém um coquetel de anticorpos monoclonais que, uma vez inoculados no paciente, unem-se ao vírus para neutralizá-lo, como faz o sistema imunológico.

Os testes clínicos foram realizados em 382 pessoas, sendo que metade delas foram tratadas com Inmazeb e o restante recebeu um medicamento distinto. Entre aquelas tratadas com Inmazeb, 33,8% morreram após 28 dias, contra 51% dos pacientes que receberam outro medicamento.

O estudo foi feito na República Democrática do Congo em 2018 e os resultados foram publicados na “New England Journal of Medicine” no ano seguinte. Os efeitos colaterais mais comuns foram febre, calafrios e aceleração dos batimentos cardíacos ou da respiração, também sintomas do vírus Ebola.

A FDA esclareceu que os pacientes que recebem Inmazeb não devem ser vacinados contra o Ebola durante o tratamento, uma vez que isto poderia reduzir a eficácia da vacina.

Os anticorpos monoclonais são um tipo de tratamento relativamente novo, normalmente aplicado para combater o câncer e doenças inflamatórias. O Inmazeb contém três tipos de anticorpos muito eficazes contra o Ebola, descobertos através da infecção de ratos geneticamente modificados.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?