Economia

EUA adiam para dezembro tarifação sobre eletrônicos chineses

EUA adiam para dezembro tarifação sobre eletrônicos chineses

(31 de jul) O representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer (e), junto ao vice primeiro-ministro chinês Liu (C), and o Secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin (d) no Centro de Conferências de Xijiao, em Xangai - POOL/AFP

Os Estados Unidos adiaram para 15 de dezembro a imposição de novas tarifas de 10% sobre os eletrônicos chineses, mas prosseguirão com novas tarifas, que entrarão em vigor em 1º de setembro, sobre 300 bilhões de dólares em produtos oriundos da China – anunciou o governo nesta terça-feira (13).

Em um comunicado, o gabinete do representante comercial (USTR), Robert Lighthizer, informou que vai manter as tarifas no mês que vem, mas vai adiá-las para telefones celulares, notebooks, monitores de computador e consoles de videogame.

Também foi anunciado o adiamento de tarifas adicionais sobre alguns brinquedos, calçados e roupas. O USTR afirmou ainda que, “em função da saúde, da segurança nacional e de outros fatores”, foram eliminados alguns produtos incluídos na lista inicial de produtos que poderiam estar sujeitos à tarifa adicional de 10%.

Enquanto Washington e Pequim trabalham para resolver a escalada da guerra comercial, Lighthizer tratou com autoridades comerciais chinesas nesta terça-feira e tem outra conversa planejada para daqui a duas semanas, disse a representação comercial americana à AFP.

A última rodada de tarifas, que o presidente Donald Trump anunciou em 1º de agosto, supõe que todas as importações chinesas para os Estados Unidos estariam sujeitas a tarifas adicionais.

As duas partes deveriam realizar outra rodada de reuniões em Washington em setembro, mas a deterioração das relações nas últimas duas semanas colocou em dúvida se as negociações ocorrerão.