Negócios

Estreias da Disney e da Warner prometem esquentar serviços de streaming

Além das séries originais, canal do Mickey também terá programação da Pixar, Marvel, Star Wars e National Geographic

Estreias da Disney e da Warner prometem esquentar serviços de streaming

Segundo executivos, Disney+ será lançado até o fim de 2019

O ano de 2019 promete ser um novo marco para os usuários de streaming. Além da expectativa de ultrapassar a arrecadação das salas de cinema, o lançamento dos serviços da Disney e Warner deve acirrar ainda mais a disputa da Netflix, Prime Video, HBO Go pela preferência dos consumidores.

Segundo a CNN, uma das principais dúvidas é a hegemonia da Netflix no setor. Apesar de investir cada vez mais em conteúdos próprios, grande parte da receita da empresa vem de produtos comprados, como a série “Friends”, que pertence à Warner, ou da saga Star Wars, propriedade da Disney.

A busca por mercados fora dos Estados Unidos é uma das alternativas. Em 2018, a Netflix investiu US$ 1 bilhão em conteúdos produzidos na Europa, incluindo 81 séries, filmes e documentários originais. De acordo com a reportagem, a gigante estima novos 221 projetos no continente para este ano, além da abertura de um centro de produção na Espanha.

Países em desenvolvimento também estão no radar. Para analistas, a Índia será um mercado bastante explorado pela empresa, principalmente pela tendência de crescimento do consumo e uso de smartphones projetada para os próximos anos.

O império contra-ataca

Este ano também será de estreias no segmento. Depois de verem parte dos seus lucros sendo direcionados para o streaming, grandes e tradicionais estúdios de Hollywood também decidiram disputar uma fatia do novo mercado. Para 2019 são esperadas o início das operações do Disney+ e um serviço da Warner.

Além dos filmes e séries da Disney, o novo produto também trará conteúdo da Pixar, Marvel, Star Wars e National Geographic. O novo produto também deve trazer séries em live-action da saga Star Wars e do universo Marvel. Segundo executivos, será lançado no fim de 2019.

Já a Warner não liberou muitos detalhes do seu projeto. Até agora, se sabe que o serviço contará com três níveis de assinatura: uma opção só para filmes, outra com a programação de filmes e séries, e uma terceira com toda a programação da Warner, além de conteúdos licenciados de outras produtoras.

Apple prepara o caminho

O ano também pode ter a estreia da Apple no setor. Em outubro do ano passado, a companhia informou a instalação gratuita em seus aparelhos de um serviço com conteúdo original. A produtora do iPhone também estaria investindo em grandes nomes do entretenimento, como Oprah e Reese Witherspoon. Segundo um dos executivos, a estratégia é fazer um produto diferenciado, e não investir em grandes séries, como as concorrentes.

Veja também

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?