Negócios

Esse francês quer hospedar você

A rede B&B Hotels promete mergulhar de cabeça no mercado brasileiro e disputar um lugar ao sol diante do avanço do Airbnb e, principalmente, da compatriota Accor, dona da bandeira Ibis

Esse francês quer hospedar você

Fabrice Collet, CEO da B&B: o plano do executivo é investir R$ 300 milhões no Brasil em cinco anos

Junte a crise financeira, o boom imobiliário e o grande potencial turístico do Brasil. Você terá um negócio de futuro promissor no segmento hoteleiro. É assim, pelo menos, que pensa a rede francesa B&B Hotels, que está em busca de locais para seus empreendimentos. Com 479 unidades na Europa, a empresa enxergou no Brasil uma oportunidade para consolidar seus negócios deste lado do Atlântico. “Chegamos à conclusão de que precisávamos crescer fora da Europa. Para isso, temos investido em mercados diferentes e promissores, como a China, a Índia e o Brasil”, disse à DINHEIRO o francês Fabrice Collet, CEO global da companhia. O objetivo, segundo ele, é mergulhar de cabeça em um mercado hoje dominado pela compatriota rival AccorHotels — dona de bandeiras como Ibis, Adagio, Mercure e Sofitel —, e pela gigante americana de serviços online Airbnb. De imediato, a B&B já confirmou a inauguração de 15 empreendimentos no País até 2023. O investimento deve chegar a R$ 300 milhões.

O desejo de ingressar no mercado brasileiro se consolidou em junho do ano passado, quando um grupo de fornecedores especializados no segmento visitou as instalações do Hotel Braston, na Rua Augusta, em São Paulo, para um evento realizado pela B&B. Os empresários saíram animados com o que ouviram acerca das projeções da empresa para o País. “Os investimentos no Brasil não serão de responsabilidade apenas da B&B. A quantia será repartida entre parceiros investidores, responsáveis por 80% dos recursos, e a empresa, com os 20% restantes”, afirma Collet.

Em 1º de dezembro, a B&B inaugura sua segunda operação no País. Localizada na cidade mineira de Uberlândia, a unidade recebeu um investimento de R$ 4,2 milhões e conta com 128 quartos. O pontapé inicial da B&B por aqui, no entanto, foi em São José dos Campos, no interior de São Paulo, em novembro de 2017, quando investiu R$ 3,2 milhões para reformular um antigo hotel desativado.

“Econochic”: a unidade de Uberlândia (MG), que recebeu R$ 4,2 milhões. É o segundo dos 15 hotéis que serão entregues até 2023 no conceito de baixo custo com design

A aposta da rede francesa é no conceito que ficou conhecido como “econochic”: hospedagem de baixo custo, mas com um design atraente. O objetivo é atrair o público corporativo e os turistas de passagem por grandes centros urbanos. Por isso, estratégia prioriza cidades com mais de 80 mil habitantes. “Os nossos produtos e preços competitivos ajudarão as pessoas a viajarem mais, tornando o mercado hoteleiro mais democrático no País”, diz Collet.

Fundada em 1990, a empresa estima que sua receita global alcance a marca de € 535 milhões (cerca de R$ 2,4 bilhões) neste ano, avanço de 16% na comparação com 2017. Em 2010, o fundo de private equity Carlyle se interessou pela rede e pagou € 480 milhões pelo negócio. Durante a gestão do fundo americano, a B&B acelerou a participação da empresa no mercado hoteleiro mundial, investindo em 110 novos empreendimentos. Em dezembro de 2015, quando já tinha 321 unidades, foi a vez de outro fundo de private equity, o francês PAI Partners, investir € 721 milhões para assumir o controle da operação.

O próximo passo da rede francesa no País será o Rio de Janeiro. O grupo acaba de adquirir um prédio com 120 apartamentos localizado nos arredores do Aeroporto Santos Dumont, onde o empresário Guilherme Paulus, ex-dono da CVC, construiu seu mais rentável hotel, o Prodigy. O empreendimento do B&B só deve abrir as portas no segundo semestre de 2019 com investimento estimado em R$ 26 milhões. Mas o mercado que mais chama atenção da empresa é o Estado de São Paulo. A rede francesa projeta unidades para as cidades de Sumaré, Barretos e, é claro, a capital. Em 2019, o B&B Hotel Luz abre as portas. Localizado na rua Florência de Abreu, 752, no Bairro da Luz, ele conta com 292 quartos.

A aposta faz sentido. Segundo a última Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE, divulgada no início de novembro, o volume de atividades turísticas cresceu 5,5% entre setembro de 2017 e setembro deste ano, com destaque para São Paulo, que avançou 9,6% no período, sua sétima taxa positiva seguida em 2018. É nesse mercado que a B&B pretende se hospedar de agora em diante.