Publieditorial

Esporte representa superação e inclusão social

Patrocínio viabiliza sonho de milhares de crianças e jovens em todo o País

Ao observar histórias de jovens que venceram condições econômicas adversas e hoje despontam como grandes nomes do esporte no cenário mundial, fica mais do que evidente a importância da prática esportiva como ferramenta de inclusão social. E não apenas no futebol, a paixão de todo brasileiro. Também é possível observar vários exemplos de superação no atletismo, corrida de rua, basquete, entre outras modalidades.

No entanto, sozinhos e sem suporte, o sonho de crianças e jovens fica muito difícil e distante de ser concretizado. Por isso, a CAIXA enxerga no esporte um dos pilares para reforçar seu compromisso com o Brasil e os brasileiros, transformando a vida de muitas famílias. E não é de hoje. Começa, na década de 1970, com a criação da Loteria Esportiva e o consequente repasse de 10% da arrecadação de cada concurso para o futebol brasileiro. A partir daí, o banco não parou mais, com patrocínio a diversas modalidades de destaque no cenário nacional e internacional.

Como na grande parte das vezes os talentos não nascem por acaso, é preciso estimular os pequenos desde cedo. O Circuito CAIXA de Maratoninhas é um bom exemplo de iniciativa focada em crianças de cinco a 12 anos. Realizado em 23 cidades, tem capacidade para atender até 1,5 mil crianças por evento. Divididas em grupos de 40, elas correm percurso de 300 metros. No ano passado, crianças de seis a oito anos também participaram de corrida de bicicleta, projeto que se estende por 2018.

O atletismo, muitas vezes, é a porta da entrada dos jovens no esporte. Por entender que as corridas de rua são essenciais como estímulo à prática esportiva, a CAIXA apoia os principais circuitos de corrida de rua com repercussão regional e nacional desde 2001. Foi também nesse ano que se tornou Patrocinadora Oficial do Atletismo Brasileiro, por meio de suporte à Confederação Brasileira de Atletismo (CBAT). A partir daí, foram criados e intensificados apoios para projetos esportivos de cunho social, garantindo a oito mil crianças e jovens brasileiros oportunidades de inserção social e da melhoria da qualidade de vida pelo esporte.

Os resultados são claros e evidentes: redução da evasão escolar, aumento da autoestima e maior percepção dos valores familiares. Ao deixar as ruas para praticar um esporte, esses jovens encontram motivação e entendimento de que é capaz de mudar sua vida e de muitas pessoas ao seu redor.

Recursos provenientes do Fundo para Desenvolvimento das Loterias (FDL) são destinados também ao patrocínio, desde 2004, do Comitê Paralímpico Brasileiro. Esse programa de incentivo envolve, ao todo, 75 atletas de alto nível em 13 modalidades. O banco investe na criação de circuitos inéditos, como o Circuito Loterias CAIXA Brasil Paralímpicos, e dá suporte às equipes brasileiras em campeonatos internacionais.

As arenas também têm se mostrado lotadas de público atento às disputas de basquete, tanto masculino quanto feminino. Entre março de 2016 e dezembro do próximo ano, a CAIXA patrocina a Liga Nacional de Basquete (LNB) e a Liga de Basquete Feminino (LBF). O banco é o principal parceiro e patrocinador do NBB (Novo Basquete Brasil), campeonato nacional masculino adulto organizado pela LNB.

Outro relevante investimento é no futebol, por meio de patrocínio a clubes e campeonatos espalhados por todo o País. A manutenção do apoio financeiro passa também pelo acompanhamento fiscal das entidades desportivas ligadas ao futebol.

Para receber o suporte financeiro, os clubes precisam estar regularizados, enquadrados na Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte e do Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro (Profut). A CAIXA patrocina clubes que estejam na Série A e B do Campeonato Brasileiro, por meio de negociação direta e com exclusividade de patrocínio no segmento financeiro. Uma das novidades é a inclusão de metas de desempenho, sendo uma delas, por exemplo, relacionada a ações socioambientais, que agora fazem parte do contrato e devem ser realizadas pelos clubes para recebimento de um percentual do patrocínio.


Evento discute marketing esportivo

Os principais parceiros das modalidades esportivas patrocinadas pela CAIXA estiveram reunidos, no último dia 5, no CAIXA Marketing Summit Sports 2018. O evento, realizado no Rio de Janeiro, teve como objetivo nivelar expectativas e capacitar os participantes para o mercado atual, tendências e formas de incrementar o engajamento e ações de ativação em um cenário em que as mídias digitais se apresentam como o principal caminho para ampliar a visibilidade da marca, realizar vendas, estreitar parcerias e conquistar novos admiradores. Cerca de 150 pessoas compareceram ao evento.

Entre os temas debatidos, foram tratados os hábitos e costumes de torcedores de futebol e dados que comprovam a importância do patrocínio e ainda a questão do assédio sexual no esporte. O que está sendo feito em termos de geração de conteúdo e fomento ao engajamento dos fãs esportivos por meio das plataformas digitais também esteve na pauta, com a apresentação das melhores práticas de mercado e principais dicas para o crescimento, não somente da base de fãs, mas também de seu engajamento.

As palestras foram apresentadas pelo gerente executivo Carlos Felipe Ramalho, da Superintendência Nacional de Promoções e Eventos da CAIXA, pelo diretor-geral do Ibope/Repucom, José Colagrossi, e pelo procurador chefe do Ministério Público do Trabalho, Gláucio Araújo de Oliveira. Também se apresentaram executivos da Sport Track, Beyond90, Blizzard, ESL, dentre outros. Segundo Carlos Felipe, o evento alcançou o objetivo de fortalecer a parceria entre a CAIXA e os patrocinados. “Esse encontro foi um marco. Uma troca do que a gente espera deles e o que eles esperam da gente”, ressaltou.

O CAIXA Marketing Summit Sports 2018 demonstrou, com muito debate e de forma transparente, o compromisso do banco com o desenvolvimento do esporte brasileiro e promete se consolidar como marco do mercado esportivo do País.