Artigo

ESG: a imagem, o valor e o impacto do seu negócio

Muito tem se falado sobre ESG (Environmental, Social and Governance) e investimento responsável no mercado financeiro. Mas o que você, como empreendedor, tem a ver com isso?

Crédito: Evandro Rodrigues

Primeiro, vamos destrinchar o que essas três letras significam. Começando pelo “E”, onde estão todos os assuntos ligados a temas ambientais (environmental, em inglês): gestão de resíduos, poluição da água e do ar, eficiência energética, biodiversidade, desmatamento e por aí vai. Em seguida, o “S”, que engloba assuntos ligados à esfera social, ou seja, relações com a comunidade, colaboradores e fornecedores, proteção de dados e privacidade, satisfação dos clientes, direitos humanos e trabalhistas. Por último temos o “G”, que se refere ao âmbito da governança, como composição de conselho, remuneração de executivos, compliance, auditoria, lobby, corrupção e lavagem de dinheiro, entre outros aspectos legais e éticos da gestão. Entendendo a sopa de letrinhas, começa a ficar um pouco mais claro seu papel como empreendedor, certo?

Pois então, incluir no dia a dia da empresa as práticas de ESG passa ao mercado não apenas a percepção de que ela tem responsabilidade nessas três esferas como também uma visão de futuro em relação ao seu relacionamento com todos os grupos de interesse (stakeholders) ligados à empresa e à sociedade. Quer um exemplo? Qual a imagem da sua empresa no que se refere a políticas de uso de material reciclado como matéria-prima? Esse tema está resolvido? Ótimo. Qual o nível de transparência das políticas de relacionamento com fornecedores? Existe algo que possa ser feito nesse sentido? Faça. Sua empresa só tem a ganhar com isso.

Estudos da Bloomberg e da Bain & Company demonstram que empresas que seguem práticas e políticas de ESG aplicadas ao dia a dia da gestão criam maior valor de mercado em relação aos seus pares que não têm ou estão atrasados nessa implementação. Do ponto de vista prático, incluir análise de impacto e ESG nas empresas ajuda a mitigar riscos, além de produzir um vasto reconhecimento. Enquanto isso, empresas com políticas fracas ou ausência delas falham em considerar riscos ambientais e ignoram os impactos na rentabilidade de seus investimentos. Em resumo, integrar as políticas ESG gera mais lucros e mais valor aos acionistas e à sociedade. Todo mundo sai ganhando.

Para facilitar a análise sobre o estágio de sua empresa em relação à ESG, deixo aqui um pequeno roteiro de reflexão:
1. Avalie quais têm sido as práticas da organização nas esferas ambiental, social e de governança corporativa;
2. Entenda como seus concorrentes, clientes e fornecedores veem as práticas de sua empresa;
3. Converse com seus colaboradores e entenda como pode melhorar o relacionamento com eles e o desenvolvimento deles;
4. Desenhe e implemente práticas que façam sentido para você, empreendedor, e para sua companhia;
5. Engaje seu time e revise constantemente o que pode ser melhorado.

Mas cuidado, não entre nessa por simples oportunismo. Faça dessa jornada uma oportunidade de gerar impacto positivo na sociedade e, ao mesmo tempo, criar valor para a sua empresa.

Taiza Roso é sócia da X8 Investimentos

Veja também

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?