Ciência

Erro em dosagem da vacina de Oxford é minimizado por AstraZeneca

Crédito: AFP/Arquivos

A vacina da AstraZeneca com a Universidade de Oxford é uma das mais aguardadas, mas problemas na testagem da eficácia de diferentes dosagens preocupa as autoridades (Crédito: AFP/Arquivos)

Um executivo da AstraZeneca minimizou erros cometidos na fase 3 de estudos clínicos da vacina contra a covid-19 que produz em conjunto com a Universidade de Oxford. Anunciado na segunda-feira (23), o imunizante apresentava uma taxa de eficácia maior (90%) em pacientes que receberam uma dose e meia do remédio do que a registrada naqueles que receberam duas doses completas (62% de eficácia).

Segundo o Wall Street Journal, Mene Pangalos, vice-presidente executivo de pesquisa da farmacêutica, disse nesta quinta-feira (26) que a diferença entre a eficácia dos dois casos era algo inexplicável, mas a vacina consegue, ainda assim, uma taxa de imunização média de 70% – o suficiente para que os órgão reguladores liberem sua distribuição.

+ Vacina: uma corrida com vários atletas a ponto de alcançar a meta
+ OMS: resultados de vacina da AstraZeneca são encorajadores
+ A desinformação, um obstáculo no caminho da vacinação?

“Não vou fingir que não é um resultado interessante, porque é, mas definitivamente não o entendo e acho que nenhum de nós entenda”, disse Pangalos. “Foi uma surpresa para nós”, completou ele ao WSJ.

Na segunda, pesquisadores de Oxford comentaram que a dose mais baixa pode ter sido mais eficaz pois pode refletir com mais precisão a resposta imunológica natural ao vírus, mas que isso demandaria mais investigação para saber com certeza. Os dados dos estudos ainda não estão completos e devem ser publicados em uma revista cientifica nos próximos dias.

Pangalos disse que o erro é “irrelevante” e foi além. “Qualquer que seja a forma de corte dos dados – mesmo que você acredite apenas nos dados de dose completa, dose total –, ainda temos eficácia que atende aos limites para a aprovação com uma vacina, que é mais de 60% eficaz”, explicou.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel