Ciência

Entenda como vai funcionar a reabertura de São Paulo na fase 3

Crédito: Governo do Estado de São Paulo

O prefeito Bruno Covas e o governador João Doria conversam após a coletiva desta sexta-feira (3) (Crédito: Governo do Estado de São Paulo)

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou nesta sexta-feira (3) quais serão as diretrizes para que teatros, cinemas, salas de espetáculo, academias e eventos culturais possam retomar as atividades na fase 3 (amarela) da quarentena no Estado. No mesmo evento, o prefeito da capital, Bruno Covas, também anunciou a reabertura de bares, restaurantes e salões de beleza para a próxima segunda-feira (6).

Os anúncios das autoridades podem causar confusão de início, já que se tratam de dois assuntos relacionados, mas o período em que cada setor reabrirá é diferente (veja mais abaixo). Vale lembrar que a capital paulista está seguindo uma liberação setorizada, onde a prefeitura discute e negocia individualmente com os grupos econômicos como será a reabertura deles.

+ Região de Campinas retrocede para fase vermelha; comércio será fechado
+ Bolsonaro foi Bolsonaro ao vetar uso obrigatório de máscara, diz Doria
+ Prefeitura do Rio começa a desativar leitos exclusivos para covid-19

Entenda melhor a seguir:

O plano de Doria

No caso do governador, a liberação anunciada hoje só ocorrerá a partir do dia 27 de julho, portanto, final do mês. A notícia passada por Doria é uma sinalização para que esses setores (teatros, cinemas, salas de espetáculo, academias e eventos culturais) montem seus protocolos de reabertura levando em consideração alguns requisitos básicos para obterem a liberação do governo:

– Será permitido uma ocupação máxima de 40% da capacidade do local;

– Funcionamento máximo de 6 horas por dia;

– O público deverá permanecer sentado e os assentos deverão ter distanciamento mínimo de 1,5 metro e uso obrigatório de máscara;

– A venda de ingressos deve ser exclusivamente online, com assentos marcados e horários pré-agendados e será necessário controlar o acesso e o número de pessoas, observando sempre a lotação máxima do local;

– O consumo de alimentos e bebidas deverá ser suspenso, garantindo que todos mantenham o uso das máscaras.

O mais importante aqui é que esses setores só poderão reabrir após 28 dias de normalização do município na fase Amarela. Ou seja, se após a cidade entrar na fase amarela os números de infectados pela covid-19 não aumentarem e os óbitos estiverem em queda, os setores poderão reabrir. Do contrário, o fechamento seguirá ativo.

O plano de Covas

Já o prefeito Bruno Covas anunciou para a próxima segunda-feira (6) a reabertura de bares, restaurantes e salões de beleza. Esses grupos estão com os protocolos setoriais liberados pela administração paulistana e o decreto com a liberação será assinado amanhã (4).

Eles terão que seguir algumas regras:

– Ocupação máxima de 40%;

– Funcionamento máximo de 6 horas, com horário limite de fechamento para as 17h;

– A operação desses locais deve ser limitada a ambientes ao ar livre ou arejados, com obrigatoriedade de assentos;

– Uso obrigatório de máscara;

– Adoção de protocolos específicos para cada setor.

A reabertura de academias e setores culturais na capital, segundo comentou Covas, passarão por uma discussão interna com a vigilância sanitária do município, o que pode acabar atrasando esse calendário anunciado por Doria.

Como está funcionando a reabertura no estado de São Paulo

Neste mapa é possível ver que apenas a capital e Grande São Paulo estão na fase 3, enquanto o interior e sul do estado estão na fase 1 ou fase 2 (Crédito:Governo do Estado de São Paulo)

O estado de São Paulo foi dividido em 17 Divisões Regionais de Saúde e a Grande São Paulo repartida em microrregiões. A flexibilização da quarentena, portanto, não é uniforme e cada região adota o afrouxamento conforme a situação local, seguindo dados semanais referentes a ocupação de leitos de UTI, novas internações, casos confirmados e óbitos registrados.

São quatro fases de permissão da quarentena nas regiões:

– Fase 1: Vermelha, alerta máximo;

– Fase 2: Laranja, controle;

– Fase 3: Amarela, flexibilização;

– Fase 4: Verde, abertura parcial;

– Fase 5: Azul, normal controlado.

É possível acompanhar os protocolos setorizados e tirar mais dúvidas através de um site especial criado pelo governo do Estado.

Veja também

+ Caixa libera FGTS emergencial para nascidos em julho nesta segunda-feira (10)

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?