Revista

Entenda a saída de executivos de private banking do Safra

Crédito: Arquivo/IstoÉ Dinheiro

“O Banco Safra tinha indicações do movimento desses quadros e já providenciou as substituições”, afirmou o banco em nota (Crédito: Arquivo/IstoÉ Dinheiro)

Gato por lebre. Nesta semana alguns executivos do private banking do Safra deixaram a instituição para, segundo as primeiras notícias, montar um escritório de investimentos em sociedade com a XP. Nos bastidores, no entanto, segundo apurou IstoÉ Dinheiro com pelo menos 3 fontes do mercado financeiro com bastante rodagem, a história é um pouco diferente. Os executivos, na verdade, não eram muito próximos dos clientes nem tinham tanta experiência, pois estavam há pouco tempo nos cargos.

Além disso, de acordo com uma das fontes, a decisão de saída deve ter sido motivada por recentes avaliações ruins de desempenho frente às equipes que atendem aos clientes e que poderiam evidenciar uma iminente perda de posições. “Esse time está longe de ser comparado ao que deixou o Credit Suisse no passado com destino à XP”, comentou uma fonte, acrescentando que o pessoal do Credit Suisse estava há mais de 10 anos na instituição e tinha papel relevante na relação com clientes importantes.
Outra fonte comentou que nem todos seguirão o mesmo caminho. A coincidência da saída pode estar relacionada ao calendário de avaliações, o que geralmente acontece no primeiro trimestre.
Ontem à noite o Safra soltou nota na qual informa que “O Banco Safra tinha indicações do movimento desses quadros e já providenciou as substituições”.