Edição nº 1100 14.12 Ver ediçõs anteriores

Energia que salva vidas

Energia que salva vidas

O custo das energias limpas, como solar e eólica, é apontado como um impeditivo para a disseminação desse tipo de geração. Afinal, a economia sofreria com aumentos nas tarifas, caso o carvão e o petróleo fossem abandonados. Essa conta, no entanto, deixa de fora alguns custos não relacionados diretamente ao negócio de energia. Como a poluição. Um estudo realizado pelo Lawrence Berkeley National Laboratory, centro de pesquisas ligado à Universidade Berkeley, na Califórnia (EUA), que já contabiliza em sua história 13 prêmios Nobel, joga um pouco mais de luz nessa questão. O trabalho calculou os benefícios da melhoria da qualidade do ar, em decorrência do uso de energias renováveis, entre os anos de 2007 a 2015 em uma série de cidades americanas.

No período, algumas localidades chegaram a evitar mais de 12 mil mortes prematuras relacionadas à poluição. Segundo o estudo, o nível de poluição do ar por partículas nocivas, nos Estados Unidos, caiu 27%, desde os anos 1990, como consequência direta do aumento do uso das renováveis. Além disso, benefícios acumulados, que incluem o aumento de produtividade na agricultura, prevenção de desastres naturais, como inundações, entre outros efeitos da limpeza na geração energética, promoveram uma economia de até US$ 106 bilhões, também dependendo da região e no mesmo período. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que a má qualidade do ar cause cerca de 3 milhões de mortes prematuras, no mundo. Os benefícios das energias limpas podem ser ainda maiores em outros países, como a China, uma vez que a qualidade de ar nos EUA é considerada boa, segundo os padrões da OMS.

(Nota publicada na Edição 1034 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Descarte de vidro ganha um aliado

Embora produzido com elementos naturais, como a sílica, presente na areia das praias, o vidro leva quatro mil anos para se decompor e [...]

Brasil abriga 453 garimpos ilegais

A Amazônia brasileira conta com 453 garimpos ilegais. Isso é o que indica um estudo apresentado na segunda-feira 10 pela Raisg (Rede [...]

O troca-troca dos índios com os ruralistas

Um levantamento do jornal O Estado de S. Paulo, realizado a partir de dados fornecidos pela Fundação Nacional do Índio (Funai), [...]

Sorriso Solidário

O Instituto Sorridents, braço social da rede odontológica Sorridents, promoveu um jantar beneficente no Clube Homs, hotel em São Paulo, no último dia 28 de novembro. Com apoio de empresas como Nutty Bavarian, Bauducco, Cacau Show e Le Postiche, a ação reuniu 300 pessoas que participaram do leilão de produtos diversos, diárias em Spa, camisas […]

Desigualdade volta a crescer

Segundo pesquisa da ONG Oxfam Brasil, encomendada ao Instituto Datafolha, o Brasil passou da décima para a nona colocação no ranking das nações mais desiguais do mundo. O relatório “País Estagnado: Um Retrato das Desigualdades Brasileiras”, divulgado em 26 de novembro, mostra que, depois de 15 anos consecutivos de melhoria, a desigualdade de renda aumentou […]

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.