Edição nº 1052 12.01 Ver ediçõs anteriores

Energia que salva vidas

Energia que salva vidas

O custo das energias limpas, como solar e eólica, é apontado como um impeditivo para a disseminação desse tipo de geração. Afinal, a economia sofreria com aumentos nas tarifas, caso o carvão e o petróleo fossem abandonados. Essa conta, no entanto, deixa de fora alguns custos não relacionados diretamente ao negócio de energia. Como a poluição. Um estudo realizado pelo Lawrence Berkeley National Laboratory, centro de pesquisas ligado à Universidade Berkeley, na Califórnia (EUA), que já contabiliza em sua história 13 prêmios Nobel, joga um pouco mais de luz nessa questão. O trabalho calculou os benefícios da melhoria da qualidade do ar, em decorrência do uso de energias renováveis, entre os anos de 2007 a 2015 em uma série de cidades americanas.

No período, algumas localidades chegaram a evitar mais de 12 mil mortes prematuras relacionadas à poluição. Segundo o estudo, o nível de poluição do ar por partículas nocivas, nos Estados Unidos, caiu 27%, desde os anos 1990, como consequência direta do aumento do uso das renováveis. Além disso, benefícios acumulados, que incluem o aumento de produtividade na agricultura, prevenção de desastres naturais, como inundações, entre outros efeitos da limpeza na geração energética, promoveram uma economia de até US$ 106 bilhões, também dependendo da região e no mesmo período. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que a má qualidade do ar cause cerca de 3 milhões de mortes prematuras, no mundo. Os benefícios das energias limpas podem ser ainda maiores em outros países, como a China, uma vez que a qualidade de ar nos EUA é considerada boa, segundo os padrões da OMS.

(Nota publicada na Edição 1034 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Afasta de mim este cálice

O ano começa e a tradicional lista dos maiores riscos globais, elaborada pela consultoria Eurasia, já está circulando. Para quem espera [...]

Doação digital

Os clientes da plataforma de pagamentos PayPal doaram US$ 8,5 bilhões para ONGs e entidades sem fins lucrativos, em 2017. Segundo o CEO da empresa, Dan Schulman, o ano foi marcado por desastres naturais e um cenário de polarização. “Em tempos como esses, é fácil desanimar”, disse. “Mas sempre há razão para manter a esperança.” […]

Jessica Alba perde o unicórnio

A Honest Company, fabricante de bens de consumo criada pela atriz Jessica Alba, perdeu o status de unicórnio, concedido a startups que [...]

Notícia velha

A jornalista britânica Carrie Gracie, correspondente da BBC na China, pediu demissão após mais de 30 anos na empresa. O motivo foi que [...]

É proibido o machismo

A Islândia deu um passo definitivo para acabar com a desigualdade salarial entre homens e mulheres: a partir deste ano, está proibido [...]
Ver mais

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.