Economia

Empresas temem uma crise econômica duradoura, diz estudo

Empresas temem uma crise econômica duradoura, diz estudo

(Março de 2020) Times Square vazia em Nova York - AFP


Centenas de empresas questionadas pelo Fórum Econômico Mundial, organizador do encontro anual de Davos, afirmaram temer uma crise mundial duradoura e que as falências empresariais disparem devido à pandemia de coronavírus, segundo um relatório divulgado nesta terça-feira (19).

As recessões mundiais em uma escala nunca vista desde a Grande Depressão dos anos 1930 exigem uma resposta mais forte dos governos para garantir uma recuperação rápida e colocar o crescimento em um caminho mais saudável, disse também o relatório.

+ Empresas evitam o retrovisor do 1º tri e mostram medidas para combater crise
+ “A crise vai funcionar como um agente catalisador da transformação digital das empresas”, afirma executiva da Rimini Street 

A pandemia e o subsequente confinamento em diversos países interromperam grandes áreas de produção e obrigaram muitos governos a iniciar operações de resgate em massa em todo o mundo.

Neste contexto, a pesquisa perguntou a 347 gestores de riscos suas preocupações para os próximos 18 meses.

As principais consequências que afirmam temer são uma prolongada desaceleração econômica, um aumento das falências empresariais e um alto desemprego juvenil.

Outros medos que destacaram incluem uma segunda onda de COVID-19 e o aumento dos ciberataques e fraudes de dados, já que grande parte da atividade empresarial está sendo realizada online.

Da mesma forma, a dívida resultante dos pacotes de resgate pode piorar as finanças de governos e empresas, frear o crescimento durante anos e dificultar os esforços para combater as mudanças climáticas, afirma o estudo.