Edição nº 1129 12.07 Ver ediçõs anteriores

Entrevista

Mikko Hypponen, sócio da F-Secure

Empresas incapazes de proteger os dados de seus clientes não serão mais competitivas

Divulgação

Empresas incapazes de proteger os dados de seus clientes não serão mais competitivas

Hugo Cilo
Edição 24/08/2018 - nº 1084

O finlandês Mikko Hypponen é um dos maiores especialistas globais em segurança digital. Desde 1991, ele é sócio da empresa escandinava de cibersegurança F-Secure, dona de um faturamento de quase € 200 milhões no ano passado. O executivo chegou a ser considerado uma das 50 pessoas mais influentes na web pela PC World Magazine e incluído na 100 Global Thinkers, o ranking das personalidades mais influentes do mundo elaborado pela revista americana Foreign Policy. Hypponen, membro do conselho do Nordic Business Forum, é conselheiro da T2, Social Safeguard e Hoxhunt, e do painel consultivo para a Autoridade Monetária de Cingapura. Em entrevista à DINHEIRO, Hypponen fala por que as pessoas, em todo o mundo, têm sido cada vez mais vítimas de ataques hackers. Confira:

DINHEIRO – Nunca houve tantos ataques hackers como nos últimos anos. Isso revela que todos estamos expostos a esse tipo de fraude?

MIKKO HYPPONEN – A revolução da internet é a maior coisa que aconteceu durante a nossa geração. O que é especialmente notável são os serviços gratuitos e abertos que todos nós podemos desfrutar. Infelizmente, a maioria dos produtos e serviços que são comercializados como gratuitos estão longe de serem gratuitos. A maioria deles, em troca, usam nossos dados ou, ou mais maliciosos, se aproveitam da curiosidade e da comodidade para invadir nossa privacidade. E o que só ficou claro recentemente é o valor dos dados como uma espécie de moeda digital.

DINHEIRO – Muitas empresas no Brasil, como bancos e grandes e-commerces, têm sido atacados, como ocorreu recentemente com a Netshoes. Como se proteger disso?

HYPPONEN – A ascensão de ameaças cada vez mais sofisticadas se torna mais destrutiva para o negócio e mais lucrativa para o cibercrime. De acordo com a pesquisa Cost of Data Breach 2017, do Instituto Ponemon, os danos médios causados pelas violações de dados chegaram a R$ 4,31 milhões por ano no Brasil. A média de negócios perdidos por organizações devido aos incidentes de segurança chegou a R$ 1,57 milhão em 2017. No Brasil, um levantamento da PwC aponta que o investimento em segurança da informação no País cresce a um ritmo anual de 30% a 40%, atingindo cifras de até US$ 8 bilhões, enquanto que, no restante do mundo, esse crescimento gira entre 10% e 15% ao ano. Por acreditar que o gasto com tecnologias de segurança é alto, muitas empresas optam por não investir em soluções de combate a ataques virtuais e, como consequência, acabam se tornando alvos fáceis dos cibercriminosos. Como muitas pequenas empresas não contam com uma área de tecnologia dedicada para realizar o ‘backup’ com frequência, acabam perdendo todas as informações, incluindo as mais sensíveis. Precisamos parar de pensar se seremos ou não atingidos. Uma hora seremos atingidos. Em vez de pensar em como manter todos os invasores longe, devemos pensar em como detectar e responder quando houver uma violação. Ser seguro é um fator competitivo hoje para as empresas.

DINHEIRO – O uso indevido de dados do Facebook e a incapacidade dos governos em preservar a privacidade das informações dos usuários revelam que todas as nossas informações já estão circulando e não há como reverter isso?

HYPPONEN – Resolver preocupações sobre privacidade e segurança não é fácil, mas elas são importantes demais para serem ignoradas. As empresas estão falando sobre como ganhar mais dinheiro às custas da privacidade das pessoas. Os criminosos online estão falando sobre como desenvolver o cenário de ameaças digitais. Precisamos começar a falar sobre privacidade e segurança se quisermos desenvolver uma cultura digital saudável. E precisamos começar a conversa agora. Ter privacidade no ambiente digital é uma escolha do usuário, mas ele terá que abrir mão de várias coisas que são comuns no nosso dia a dia, como as redes sociais. Se já estamos lá, sem saber como eles estão nos explorando, os dados já estão na rede. Se a ideia é mudar o seu comportamento, dá sim para começar um novo capítulo, um bem mais seguro.

DINHEIRO – Pode-se afirmar que eleições com urnas eletrônicas, como a do Brasil, são completamente seguras?

HYPPONEN – No Brasil, existe uma preocupação muito forte sobre as vulnerabilidades das urnas eletrônicas, que inclusive será um dos pontos de destaque das discussões durante o Mind The Sec SP 2018, em setembro. O que vai acontecer durante o evento é que pela primeira vez o órgão público responsável pelo equipamento será abordado pelos especialistas e pesquisadores, o que deve pôr um ponto final na discussão.

DINHEIRO – Se as democracias forem ameaças por ataques cibernéticos, como os países poderão se proteger?

HYPPONEN – Empresas de internet gigantescas construíram impérios usando os dados fornecidos a eles por seus clientes. O ‘big data’ permite que as empresas encontrem novos modelos de negócios e não há nada inerentemente ruim nisso, pois os usuários finais aceitam alegremente qualquer custo para obter seus serviços gratuitos. Por outro lado, nossa segurança online está sendo alvo de grupos que estão dispostos a violar a lei. Isso inclui tanto os criminosos que fazem seus ataques para ganhar dinheiro quanto os governos que fazem isso para fins de vigilância e espionagem. Interferências, como a que supostamente aconteceu nas eleições dos EUA, são também muito fáceis de acontecer no Brasil se os usuários não desenvolverem uma maturidade para tratar seus dados e compartilhar conteúdo.

“Precisamos parar de pensar se seremos ou não atingidos. Uma hora seremos” Centro de distribuição da Netshoes, empresa que foi vítima de vazamento de dados de seus clientes (Crédito:Divulgação)

DINHEIRO – Além da questão da segurança cibernética, existem tecnologias capazes de conter a proliferação das ‘fake news’?

HYPPONEN – A melhor tecnologia é o bom-senso, por que uma das lições que continuamos aprendendo repetidas vezes no mundo prático é que teorias, métodos e tecnologias podem ser bons, mas você ainda pode receber um soco na cara de onde nem esperava.

DINHEIRO – Quais são as maiores fontes de ataques no mundo e quais são as empresas ou países preferidos dos hackers?

HYPPONEN – Empresas do ramo financeiro e do varejo são as mais atacadas, pois tratam com dados monetários de milhões de pessoas. No entanto, setores elétricos, de saúde e órgãos públicos no geral têm sido alvos recorrentes. A origem dos ataques é incerta. Os EUA são os principais alvos, pois têm a maioria dos sistemas, mas cada hora o inimigo se renova, desde Rússia, Coreia do Norte, China e países do Oriente Médio. Planos falham porque não somos perfeitos. Nós cometemos erros. Deixamos nosso laptop no ônibus ou clicamos em um link de phishing ou colamos nossa senha em um tuíte. E eles falham porque por trás de toda ameaça cibernética está um ser humano inteligente, alguém que está 100% focado em contornar nossos mecanismos de prevenção. Como defensores, precisamos reconhecer que, se alguém realmente quiser chegar até você e tentar por tempo suficiente, ele passará. De alguma forma.

DINHEIRO – A digitalização do sistema financeiro do Brasil é uma das mais avançadas do mundo. Todos os bancos operam por meios digitais. Isso é uma ameaça aos clientes?

HYPPONEN – Sim e não. Estar no ambiente digital é estar em risco, mas ser seguro será um diferencial estratégico para ser cliente de um banco e isso vai estimular que as empresas sejam cada vez mais seguras e conscientes. E o usuário tem uma grande parcela de responsabilidade nisso, já que toda a tecnologia vai por água abaixo se você cair em uma fraude. A vida online precisa de proteção. Não reutilize senhas nos serviços. Use um gerenciador de senhas. Saiba para quem ligar caso encontre algo suspeito relacionado às suas contas financeiras. Sempre faça uma espécie de auditoria em seus arquivos pessoais e nas atividades das redes sociais. Faça o backup de seus dados. Em seguida, faça backup do backup.

DINHEIRO – Só isso basta?

HYPPONEN – As organizações precisam conhecer sua infraestrutura. Saiba onde estão os dados importantes que você precisa proteger. Saiba quão eficazes são suas defesas atuais e onde estão as lacunas. Imagine os cenários mais básicos, como seu funcionário deixar o telefone em um táxi ou abrir um anexo de arquivo malicioso. Para cada um desses cenários, pergunte-se: qual é o impacto? O que está em jogo? Quais são as nossas prioridades? Quem eu informo, o que eu faço em seguida e quando faço o escalonamento? Se eu perder os dados por algum motivo, nós temos backups? Conseguiremos restaurar esses backups para recuperar nossos dados? Ter um plano realista para reagir à crise irá percorrer um longo caminho. O planejamento, a preparação e os exercícios contribuirão para a capacidade da sua organização de reagir e emergir da crise. Não podemos evitar todos os incidentes.

DINHEIRO – Como o Brasil tem se posicionado nessa questão de ataques cibernéticos?

HYPPONEN – O Brasil está caminhando no sentido certo, principalmente em oportunidades de troca de conhecimento com especialistas do resto do mundo, pois os ataques e as tendências começam fora. Lógico que a velocidade ainda é menor, pois é necessário criar uma cultura de segurança. No entanto, nunca se investiu tanto em tecnologia para segurança como em 2018, o que mostra que as empresas têm percebido que se proteger é o caminho para fidelizar os clientes. A tecnologia ao nosso redor está mudando mais rápido do que nunca. Já nos tornamos dependentes de nossos dispositivos digitais, e isso é apenas o começo. À medida que os dispositivos conectados abrem novas oportunidades para a imaginação, eles também abrem novas oportunidades para criminosos online.

“No Brasil, existe uma preocupação forte sobre as vulnerabilidades das urnas eletrônicas” Urna eletrônica com identificação biométrica no País (Crédito:Evaristo Sa / AFP)

DINHEIRO – A fragilidade de sites e sistemas online de grandes empresas pode, eventualmente, forçar um passo atrás, um retorno ao papel e ao analógico?

HYPPONEN – Empresas incapazes de proteger os dados de seus clientes, seja por descaso ou falta de capacidade técnica, não serão mais competitivas. Não voltaremos à idade da pedra, mas voltaremos à selva, onde o seguro engole o inseguro. Mas, com exceção de momentos rápidos e de urgência, não tem mais como voltar atrás na era digital. Em 2017, o custo do despreparo frente ao cibercrime, hoje mais organizado, globalizado e ativo, foi de cerca de R$ 70 bilhões para a economia brasileira e afetou 62,7 milhões de pessoas e empresas, que perderam três dias inteiros de trabalho para lidar com os danos pós-ataques, de acordo com o 2017 Norton Cyber Security Insights Report, divulgado pela empresa de segurança Symantec, que projeta um crescimento de até 23% nos números para esse ano.

DINHEIRO – Países superavançados tecnologicamente, como o Japão, possuem leis que obrigam as empresas a manter um backup de documentos importantes em papel impresso. Essa cautela, em sua opinião, revela que o mundo digital ainda é muito arriscado?

HYPPONEN – Revela que o mundo em si é muito arriscado. Mesmo em contas pagas em papel e documentos importantes também em papel precisam ser guardados e terem cópias de seguranças. O problema não está no digital, está na criminalidade que vai seguir, seja no papel ou no byte.

DINHEIRO – Muitas empresas suspeitam que os próprios desenvolvedores de sistema de segurança digital criam vírus para depois vender a cura do problema. Qual sua opinião sobre isso?

HYPPONEN – A cada dez segundos, cinco novos ‘malwares’ surgem no mundo. Não existe a necessidade de empresas fazerem isso e não fazem.

DINHEIRO – Em quantos anos podemos ter sistemas e programas que garantam 100% de segurança das transações digitais?

HYPPONEN – Enquanto houver humanos na operação, nada é 100%. Por mais que os profissionais de segurança da informação sigam se atualizando e que as empresas continuem investindo em novos mecanismos para proteger o negócio de ações maliciosas, os criminosos também se aprimoram e buscam novas brechas, não só no âmbito tecnológico. Pesquisas apontam que, no Brasil, 58% das violações de segurança são resultado de falha humana.

DINHEIRO – A falta de legislação específica para tratar de crimes cibernéticos em muitas partes do mundo é um fator que dificulta o combate a esse tipo de crime?

HYPPONEN – Sim, mas a evolução das técnicas e fraudes é tão rápida que, mesmo onde a lei existe, ela se desatualiza rapidamente, deixando brechas.

Durante Cúpula

Brasil assina acordo que acaba com cobrança de roaming em países do Mercosul


Faceapp: aplicativo da moda pode roubar dados que você não imaginava

privacidade

Faceapp: aplicativo da moda pode roubar dados que você não imaginava

Aplicativo é capaz de coletar diversas informações que vão além das fotos. No Brasil, a lei de proteção de dados entrará em vigor em 2020 para impedir o mal uso das informações

Lava Jato diz que decisão de Toffoli impacta investigações

Ministro do STF

Lava Jato diz que decisão de Toffoli impacta investigações

Guedes elogia ideia para reincluir estados na reforma da Previdência

Ministro

Guedes elogia ideia para reincluir estados na reforma da Previdência

Polícia fecha fábrica clandestina de Ferrari e Lamborghini em SC

modelos falsificados

Polícia fecha fábrica clandestina de Ferrari e Lamborghini em SC

Carros falsificados eram produzidos sob demanda, a custo de R$ 180 mil a R$ 250 mil, enquanto um modelo original pode valer até R$ 3 milhões

Subaru terá que descartar mais de 2.100 veículos após grave problema em lote

Problema na solda

Subaru terá que descartar mais de 2.100 veículos após grave problema em lote

No total, 142 Legacy sedan e 1.965 Outback SUV foram afetados pelo problema de solda. A Subaru oferece opção de troca ou recompra do veículo

Confira vagas em concursos públicos com salário de até 31,9 mil

Oportunidades

Confira vagas em concursos públicos com salário de até 31,9 mil

Há oportunidades em concursos públicos para várias áreas de atuação e nível educacional, desde o ensino fundamental até o superior, em diversos estados

Herdeira da Disney diz que funcionários buscam comida no lixo para sobreviver

Crítica

Herdeira da Disney diz que funcionários buscam comida no lixo para sobreviver

Abigail Disney afirmou que se infiltrou um dos parques temáticos depois de receber uma mensagem via rede social de um dos funcionários do local

Bill Gates cai na lista dos homens mais ricos do mundo

fundador da microsoft

Bill Gates cai na lista dos homens mais ricos do mundo

Segundo lugar foi alcançado pelo CEO do conglomerado de marcas de luxo LVMHF, o francês Bernard Arnault, com patrimônio de US$ 108 bilhões


Estilo

Lotus revela seu primeiro super esportivo elétrico, o Evija

Super esportivo

Super esportivo

Lotus revela seu primeiro super esportivo elétrico, o Evija

A Lotus revelou seu primeiro super esportivo 100% elétrico, o Evija, primeiro modelo da marca sob controla da chinesa Geely, que também controla a Volvo


Dinheiro e Tecnologia


Instagram deixa de mostrar número de curtidas das postagens

Instagram deixa de mostrar número de curtidas das postagens

Renault investirá US$ 144 milhões na produção de carros elétricos na China

Renault investirá US$ 144 milhões na produção de carros elétricos na China

Segundo a Agência Internacional de Energia (AIE), o país tem mais de 2,3 milhões de veículos elétricos, ou 45% da frota mundial


Finanças


Dólar recua para R$ 3,76 após dois dias de alta, mas volume de negócios é fraco

Câmbio

Dólar recua para R$ 3,76 após dois dias de alta, mas volume de negócios é fraco

Nova York limita ganhos e Ibovespa fecha em alta de 0,08%

Após ciclo de baixa

Nova York limita ganhos e Ibovespa fecha em alta de 0,08%


Internacional


UE abre investigação sobre uso de dados comerciais pela Amazon

segurança

UE abre investigação sobre uso de dados comerciais pela Amazon

Procuradoria solicita julgamento para a Air France por acidente do voo Rio-Paris

acidente ocorreu em 2009

acidente ocorreu em 2009

Procuradoria solicita julgamento para a Air France por acidente do voo Rio-Paris

Homossexuais vão poder doar sangue na França após quatro meses de abstinência sexual

polêmica

polêmica

Homossexuais vão poder doar sangue na França após quatro meses de abstinência sexual

O destino das pedras lunares presenteadas pelos Estados Unidos

50 anos do apollo 11

50 anos do apollo 11

O destino das pedras lunares presenteadas pelos Estados Unidos


Negócios


A revolução Burger King. O primeiro a cuidar de cliente insatisfeito é o CEO

GESTÃO

A revolução Burger King. O primeiro a cuidar de cliente insatisfeito é o CEO

Depois de abrir o capital no fim de 2017 e de manter um crescimento consistente nos últimos meses, a rede de fast food aposta em tecnologia e na gestão do CEO Iuri Miranda para reinar no mercado de alimentação

Gigante da cannabis medicinal chega ao Brasil. 'País está atrasado 40 anos'

Pra não esquecer

Gigante da cannabis medicinal chega ao Brasil. 'País está atrasado 40 anos'

Grandes empresas do setor de cannabis medicinal começam a chegar ao Brasil prontas para investir num mercado que pode se tornar bilionário. Basta as regras do setor ficarem mais claras


Entrevista

'A privatização é mais importante que a Previdência para dar impulso à economia brasileira'

Mark Mobius, sócio e fundador da Mobius Capital Partners

Mark Mobius, sócio e fundador da Mobius Capital Partners

'A privatização é mais importante que a Previdência para dar impulso à economia brasileira'

O gestor de recursos Mark Mobius administra fundo de US$ 200 milhões e diz que as ações brasileiras estão entre as favoritas


Mercado digital


Taboola: plataforma de conteúdo digital já atinge 1,4 bilhão de usuários

Mr. Conteúdo

Taboola: plataforma de conteúdo digital já atinge 1,4 bilhão de usuários

Taboola atinge 1,4 bilhão de pessoas distribuindo notícias e já tem 700 sites parceiros no Brasil

Saiba o que o GPA fez com seu e-commerce, que cresce 85% em 2019

Fórmula omnichannel

Saiba o que o GPA fez com seu e-commerce, que cresce 85% em 2019

Vendas por E-commerce nas redes Extra e Pão de Açúcar crescem 85% e consolidam a estratégia Omnichannel do GPA


Editorial

A reforma possível

por carlos josé marques

por carlos josé marques

A reforma possível

Sem ações adicionais no campo econômico, dificilmente a retomada se dará no ritmo desejado. Existe uma extensa lista de medidas a ser adotada de imediato para a reversão da crise e uma reportagem especial nesta edição trata a fundo o assunto. Quanto ao ânimo em voga no País, é preciso manter o otimismo


Finanças


A XP olha para outras praças

Após sucesso de evento

A XP olha para outras praças

Depois do sucesso de seu seu megaevento para investidores e agentes autônomos em São Paulo, empresa quer levá-lo para todo o Brasil

CVM aumenta fiscalização contra pirâmides financeiras e criptomoedas

Sempre alerta

CVM aumenta fiscalização contra pirâmides financeiras e criptomoedas

CVM intensifica fiscalização sobre pirâmides financeiras, em especial as que envolvem criptomoedas


Economia

O que será do FMI após Lagarde?

Disputa temerosa

Disputa temerosa

O que será do FMI após Lagarde?

Uma temerosa disputa sucessória toma conta do Fundo Monetário Internacional depois que sua diretora-executiva foi nomeada para presidir o Banco Central Europeu


Semana

Cade condena 11 empresas por cartel de trens e metrôs

Resumo dos fatos

Resumo dos fatos

Cade condena 11 empresas por cartel de trens e metrôs

Depois de seis anos de investigação, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) condenou 11 empresas e 42 pessoas por formação de cartel em licitações públicas de trens e metrôs em São Paulo, Distrito Federal, Minas Gerais e Rio Grande do Sul


Estilo


Do MoMA para o seu escritório

Herman Miller

Do MoMA para o seu escritório

Depois de conquistar um espaço permanente no Museu de Arte Moderna de Nova York, a grife de móveis corporativos Herman Miller investe na produção local para ampliar sua exposição no Brasil

A nova onda do chocolate gourmet

Crescimento do setor

A nova onda do chocolate gourmet

Em um movimento similar ao das cervejas artesanais, o segmento bean to bar projeta forte crescimento no Brasil


Colunas


“A reforma tributária vai aumentar a arrecadação”

Moeda Forte

“A reforma tributária vai aumentar a arrecadação”

Serafim de Abreu Júnior, vice-presidente da IBM América Latina

Bill Gates revela o segredo de Steve Jobs: feitiços

Dinheiro em bits

Bill Gates revela o segredo de Steve Jobs: feitiços

Four Seasons adere às experiências de luxo

Cobiça

Four Seasons adere às experiências de luxo

1,2 trilhão de árvores para conter o aquecimento global

Sustentabilidade

1,2 trilhão de árvores para conter o aquecimento global

Petrobras estimula concorrência no mercado de gás natural

Dinheiro em ação

Petrobras estimula concorrência no mercado de gás natural


Artigo

O transporte dos produtos que consumimos é sustentável?

Por Márcio D’Agosto e Cíntia Machado

Por Márcio D’Agosto e Cíntia Machado

O transporte dos produtos que consumimos é sustentável?


Publieditorial XP Investimentos

Descubra a maior cidade da América Latina

São Paulo

Descubra a maior cidade da América Latina

Facilidade de acesso e variedade de opções de transporte complementam os diferenciais do Centro de Convenções

Saiba como chegar ao Transamerica Expo Center

Mobilidade

Saiba como chegar ao Transamerica Expo Center

Facilidade de acesso e variedade de opções de transporte complementam os diferenciais do Centro de Convenções

Dicas de hospedagem, diversão e serviços próximos ao Transamerica Expo Center

Turismo

Dicas de hospedagem, diversão e serviços próximos ao Transamerica Expo Center


Publieditorial

Inovações na Digital Agro ampliam produção

Digital Agro apresenta:

Digital Agro apresenta:

Inovações na Digital Agro ampliam produção

Entre 11 e 13 de junho, feira voltada à tecnologia no campo vai discutir integração de soluções para aumento de resultados


Artigo

É hora de dar um gás!

Por Milton Rego, presidente da Abal

Por Milton Rego, presidente da Abal

É hora de dar um gás!

"O setor elétrico brasileiro já foi considerado um dos mais eficientes do mundo. Mas isso ficou no passado. O resultado desse desarranjo é que o preço da energia elétrica responde hoje por mais de 60% do custo da etapa primária de produção do alumínio"

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.