Economia

Empresas adotam home office, mas sem regras claras nem apoio aos funcionários

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

Empresas adotam home office, mas sem regras nem apoio a funcionários (Crédito: Arquivo/Agência Brasil)

Pesquisa realizada pela corretora de seguros norte-americana Lockton com 469 empresas brasileiras e multinacionais mostra que as companhias que adotaram o home office não estabeleceram regras claras para o trabalho remoto nem deram apoio financeiro aos funcionários.

De acordo com a Folha de S.Paulo, 55% das entrevistadas que estão em home office têm definição de políticas claras e 41% adotaram o modelo de maneira informal.

+ Positivo tem fôlego novo com home office
+ Oi anuncia prorrogação de home office até março de 2021

Outro dado que chama atenção é que apenas 27% das empresas que contam com regras para o trabalho remoto oferecem algum auxílio para os funcionários custearem o aumento nas contas de energia, telefone e internet.



Os valores pagos aos colaboradores para arcar com essas despesas extras foram, em média, de R$ 100 por mês. Além disso, só 22% das empresas ajudaram com móveis de escritório.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel