Economia

Empresários do turismo e restaurantes querem a volta do horário de verão

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

Os empresários acreditam que a volta do horário de verão deve ajudar os setores e aliviar a crise hídrica (Crédito: Arquivo/Agência Brasil)

Entidades do setor de turismo, alimentação e entretenimento preparam nova investida em favor do retorno do horário de verão. O objetivo dos empresários é sensibilizar o governo Jair Bolsonaro dado o avanço da crise hídrica e de um possível apagão que pode tomar todo o País.

O horário de verão foi encerrado por Bolsonaro em 2019. Na época, o presidente alegava que não havia economia de energia com o avanço do horário e que o fim da norma aumentaria a produtividade dos trabalhadores.

+ Governo quer definir em até 2 dias bônus a quem economizar energia, diz ministro

Com a pandemia e a falta de chuvas, o que se vê é um setor elétrico no limite, com o próprio presidente pedindo para que seus seguidores apaguem um ponto de luz para economizar energia. Em live na quinta-feira (26), ele chegou a comentar que ninguém está pedindo, mas que se “a maioria for favorável”, o horário de verão será retomado.



Em entrevista ao Poder 360, Paulo Solmucci, presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), afirmou que a crise energética e as dificuldades do setor para colocar as contas em dia vão se alongando e seria prudente retomar o horário de verão. Uma pesquisa divulgada pela Abrasel nesta segunda-feira (30) apontou que em julho, 37% dos bares e restaurantes operaram no prejuízo. Outros 34% trabalharam no equilíbrio e 29% já tiveram lucro. Os números significam melhora em relação a junho, quando 56% tiveram prejuízo

Principal apoiador de Bolsonaro, o empresário Luciano Hang, dono das lojas Havan, foi ao Facebook para afirmar “que o retorno do horário de verão é uma estratégia muito importante que trará benefícios para toda a sociedade”.

“Com uma hora a mais no dia, aumenta a movimentação no comércio, a ocupação em hotéis e restaurantes, consequentemente aumenta a produção das indústrias. Hoje, mais de 70 países utilizam a medida, demonstrando que ela influencia sim, positivamente, para a economia. Além disso, neste período em que enfrentamos uma crise hídrica, este artifício também é uma maneira de economizarmos energia elétrica”, disse Hang no Facebook.

Nos comentários do post, todos os seguidores do empresário criticaram a iniciativa.

Veja também
+ Como podcasts podem ajudar na educação financeira do brasileiro
+ Mistério: mulher descobre que não é a mãe biológica de seus próprios filhos
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km