Economia

Empresa comete equívoco e manda bitcoin ‘de brinde’ e clientes ficam milionários

Crédito: Pexels

A BlockFi, durante uma promoção de fidelização para quem negociasse acima de determinados valores, acabou enviando quantias em bitcoin para usuários (Crédito: Pexels)



As criptomoedas estão cada vez mais ganhando destaque no mercado financeiro, com várias personalidades apostando nas moedas digitais, mas uma situação inusitada chamou a atenção nesta semana. Uma empresa, por equivoco, mandou bitcoin de brinde para os seus clientes ao invés de dólar.

De acordo com o Tecmundo, a plataforma de negociação e conversão de criptomoedas BlockFi, durante uma promoção de fidelização para quem negociasse acima de determinados valores, acabou enviando quantias em bitcoin para usuários em vez de GUSD, ou Gemini Dollars, uma moeda alternativa e estável que tem conversão de um para um com o dólar, enquanto que o bitcoin vale atualmente mais de US$ 39 mil.

+ Bitcoin afunda e mercado de criptomoedas perde quase US$1 tri

Diante do equivoco, a plataforma pediu desculpas aos usuários. A maioria das transações erradas foram identificadas e corrigidas. Mas tiveram clientes que chegaram a ficar milionários com o recebimento de valores não solicitados e chegaram a publicar em redes sociais a surpresa por receber uma enorme quantia de dinheiro nas carteiras virtuais.




Outros usuários, segundo o Tecmundo, relatam que receberam e-mails em tons ameaçadores para devolver o dinheiro para não receber um processo, além de uma recompensa pelo inconveniente.

Um representante do serviço publicou um comunicado em um tópico sobre o assunto no Reddit. “Em 17 de maio de 2021, menos de 100 clientes foram incorretamente creditados com criptomoedas associadas a um pagamento promocional que não pertencia a eles. A BlockFi contatou esses clientes e está trabalhando com eles para corrigir o ocorrido. A situação não afeta qualquer operação em andamento da BlockFi e medidas foram tomadas para garantir que um erro como esse não seja possível no futuro”, diz a nota.