Negócios

Emirates reconsidera compra de aviões A380 e pode cancelar pedido

A principal companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos está reconsiderando acordo de compra de 20 aeronaves

Emirates reconsidera compra de aviões A380 e pode cancelar pedido

O maior avião comercial do mundo, o Airbus 380 pode estar com os dias contados, e seu destino depende da companhia aérea Emirates. A empresa de Dubai fechou no último ano um acordo histórico com a fabricantes de avião, que consistia na compra de 20 aeronaves A380, com opção de adicionar mais 16 unidades ao pedido.

A entrega fez com que a Airbus contratasse cerca de três mil trabalhadores para completar os pedidos, que começarão a ser entregues para a companhia em 2020. Porém, agora a Emirates está reconsiderando o acordo e existe a possibilidade de que ele vá por água abaixo, com a aérea querendo trocar o pedido dos gigantes pelos econômicos A350.

O movimento da Emirates não é inédito. Em 2014, a empresa dubaiense cancelou um pedido de 70 A350, que renderia a Airbus US$ 16 bilhões. Fontes próximas da fabricante já afirmou que eles tem planos de parar a produção do gigantes dos ares.

A ideia da Airbus vai de encontro com uma tendência cada vez maior no mundo da aviação de priorizar aviões “cost-efective”, com menor consumo de combustível que dão as aéreas maior margem de lucro nas viagens. Dessa maneira, aeronaves de quatro motores – caso do A380 – se tornarão cada vez mais obsoletas.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel