Dinheiro em Ação

Embraer reverte prejuízo e lucra R$ 26,1 milhões

Embraer reverte prejuízo e lucra R$ 26,1 milhões

Papéis avulsos

A Embraer lucrou R$ 26,1 milhões no segundo trimestre de 2019, revertendo o prejuízo de R$ 21,4 milhões no mesmo período do ano passado. A receita líquida cresceu 19,4% e totalizou R$ 5,4 bilhões. De abril a junho, a Embraer entregou 26 aeronaves comerciais e 25 executivas. A carteira de pedidos firmes atingiu US$ 16,9 bilhões, abaixo dos US$ 17,4 bilhões em igual período de 2018. A geração de caixa (Ebitda) praticamente dobrou de tamanho, ao passar de 130,8 milhões para
R$ 259,6 milhões em doze meses. Com isso, a margem Ebitda (métrica de rentabilidade) galgou quase dois pontos percentuais e atingiu 4,8%. Os analistas da Guide se mostram otimistas com o ativo. “Esperamos que a evolução dos resultados se mantenha, com maior volume de vendas do segmento executivo”, escrevem os profissionais da corretora, em relatório. “O papel segue negociado a uma relação risco-retorno atrativa”.

 

Educação

Nota ruim no balanço da Kroton

A Kroton Educacional lucrou R$ 266,6 milhões no segundo trimestre de 2019, uma queda de 44,2% na comparação com o mesmo período do ano passado, influenciada pelas despesas decorrentes da aquisição da Somos. Apesar de se tratar de um evento não recorrente, analistas do mercado avaliaram de maneira negativa os números gerais da empresa. A base de alunos do ensino superior caiu 5% na comparação com o mesmo período do ano passado. O movimento refletiu o grande volume de formaturas do período e a evasão de 70 mil alunos. A taxa de desistência da Kroton atingiu 6,8% no ensino presencial e 8,3% no EAD, maior patamar para o segundo trimestre dos últimos quatro anos. As ações da empresa sobem 46,6% no ano.

 

Veículos

Movida acelera com frota 31% maior

A empresa de aluguel de carros Movida lucrou R$ 41,5 milhões no segundo trimestre de 2019, um crescimento de 4% na comparação com o mesmo período de 2018. A receita líquida avançou 56,8% e chegou a R$ 956,2 milhões. O crescimento de 31% da frota total de veículos contribuiu para o desempenho positivo no aluguel de veículos. Na parte de seminovos, a empresa registrou um recorde com a venda de 16 mil carros, evolução de 83,4% ante igual período do ano passado. O bom desempenho operacional da companhia resultou em um avanço de 31% da geração de caixa (Ebitda), que totalizou R$ 155 milhões. As ações da Movida sobem 99,3% no ano.

 

Energia

Venda de ativos impulsiona resultado da Eletrobras

A Eletrobras lucrou R$ 5,5 bilhões no segundo trimestre de 2019, quatro vezes acima do registrado em igual período do ano passado. A maior parte do lucro (R$ 5,2 bilhões), no entanto, está relacionado à venda de ativos de distribuição e Sociedades de Propósito Específico (SPE). Sem considerar esses eventos não recorrentes, o lucro teria sido de R$ 301 milhões, uma queda de 33% na comparação anual. Ainda assim, houve destaques positivos no balanço, como o crescimento de 25,1% da receita com geração de energia, que totalizou R$ 5,3 bilhões. As ações da companhia sobem 53,3% no ano.

 

Touro x Urso

Sem grandes novidades no cenário local para movimentar o mercado, os investidores voltaram suas cargas para o front global, mais especificamente para a guerra comercial entre China e Estados Unidos. A disputa entre as duas potências tem causado forte volatilidade na bolsa, que fica à mercê do jogo de bate e assopra entre Donald Trump e Xi Jinping.

 

Destaque no pregão

Magazine Luiza volta a brilhar com o e-commerce

O Magazine Luiza lucrou R$ 386,6 milhões no segundo trimestre de 2019, um salto de 174,7% na comparação com o mesmo período do ano passado. A receita líquida cresceu 16,6%, para R$ 4,3 bilhões. O e-commerce foi o principal responsável pelo resultado, com uma evolução de 56,2%. Nas lojas físicas, o avanço foi de 8,6%. Também teve destaque o desempenho da Luizacred, joint-venture entre o Magazine Luiza e o Itaú Unibanco, responsável pelo financiamento de parte das vendas da companhia. A receita da intermediação financeira aumentou 51,4%, para R$ 459,3 milhões, o maior crescimento em cinco anos. A base de cartões da Luizacred cresceu 225 mil unidades e atingiu 4,6 milhões de cartões emitidos, uma alta de 24,2% ante junho de 2018. A carteira de crédito da Luizacred cresceu 44,1% e alcançou R$ 9,5 bilhões. As ações do Magazine Luiza sobem 68,2% em 2019.

Palavra do analista:
Luiz Guanais e Gabriel Savi, do BTG Pactual, apontam dois fatores para justificar o otimismo com o desempenho futuro das ações, mesmo após toda a alta recente: o forte crescimento que o e-commerce deve seguir apresentando, e o esperado processo de consolidação que ainda deve ocorrer no setor, sendo o Magazine Luiza um dos maiores beneficiados, na visão dos especialistas.

 

 

Mercado em números

CPFL Energia
R$ 574 milhões – Foi o lucro da companhia de abril a junho, um avanço de 27,4% na comparação com o mesmo período do ano passado, refletindo o aumento de 13,8% na receita com venda de energia.

HAPVIDA
R$ 227,1 milhões – É o quanto lucrou a administradora de hospitais no segundo trimestre de 2019, um crescimento de 51,4% na comparação com o mesmo período do ano anterior, com destaque para o aumento no ticket médio e no número de beneficiários.

CENTAURO
R$ 111,8 milhões – Foi o lucro da empresa de artigos esportivos de abril a junho, impulsionado pelas vendas na plataforma digital, e revertendo o prejuízo de
R$ 2,4 milhões em trimestre igual do ano passado.

MAHLE METAL LEVE
R$ 59,7 milhões – É o quanto lucrou a fabricante de autopeças no segundo trimestre de 2019, uma queda de 0,8% na comparação com o mesmo período de 2018, por influência dos problemas na economia Argentina.

BANCO INTER
R$ 32,9 milhões – Foi o lucro da instituição financeira digital no segundo trimestre de 2019, um crescimento de 90,9% na comparação com o mesmo trimestre em
2018, impulsionado pelo aumento de 242,7% na base de clientes

 

Número da semana

0,5%

Foi o avanço do Indicador Antecedente Composto da Economia Brasileira (Iace) em julho em relação a junho, informou a Fundação Getulio Vargas na quarta-feira 14. O indicador foi para 117,6 pontos, mostrando uma tendência de crescimento moderado do nível de atividade. O Iace agrega oito componentes que medem a atividade econômica no Brasil, incluindo a Selic, o Índice Bovespa, indicadores de expectativas da Indústria, do Consumo e dos Serviços, além de indicadores referentes às exportações. Das oito séries componentes, seis contribuíram positivamente para a evolução no mês, com destaque para o Índice de Expectativas do setor de Serviços, que avançou 2,7%.

 

 

Entrevista da semana

“Conhecer os hábitos de uma família permite investir melhor os seus recursos”

Sigrid Guimarães, sócia do multifamily office Alocc

A Alocc é um multifamily office que administra R$ 5,5 bilhões de aproximadamente 200 clientes. Criada há dez anos no Rio de Janeiro por Ricardo Taboaço, um dos fundadores da Icatu, a Alocc chegou agora a São Paulo, onde acaba de abrir um escritório na região da Faria Lima. Ela expandiu suas operações atraída pela demanda de clientes residentes na capital paulista, e também em busca de novos negócios, diz Sigrid Guimarães, sócia da Alocc. Antes da gestora, Sigrid fez parte da equipe que cuidou da fortuna da família Marinho, das Organizações Globo, onde trabalhou por 13 anos.

A Alocc tem crescido cerca de 30% ao ano. A que você credita esse desempenho?
Temos observado um movimento muito forte de saída dos grandes bancos para outras alternativas mais rentáveis, e temos conseguido nos aproveitar dessa tendência. Além disso, há também a queda da taxa de juros, que reduziu muito a rentabilidade na renda fixa. A busca por planejamento patrimonial traz uma tranquilidade maior para as famílias.

Por que um cliente já abastado financeiramente deve se preocupar com o planejamento patrimonial?
A expectativa de vida aumentou muito, hoje é comum as pessoas viverem até os 100 anos. Como elas se aposentam por volta dos 60, restam ainda 40 anos em que o dinheiro precisa durar. Em um país que tem uma crise a praticamente cada cinco anos, o método de alocação de longo prazo que adotamos ajuda a atravessar esse período.

Qual a importância de abrir uma unidade em São Paulo?
Fazemos um trabalho muito holístico, entendendo todas as questões econômicas e financeiras que envolvem a vida dos clientes. Conhecer os hábitos de uma família permite investir melhor seus recursos. Com base nessa pesquisa montamos o planejamento patrimonial, e a expansão para São Paulo vai ajudar bastante o nosso trabalho.