Giro

Em Hong Kong, manifestantes recebem ordem para sair de universidade

A chefe do Poder Executivo de Hong Kong, Carrie Lam, está pedindo que os manifestantes que permanecem dentro de uma universidade saiam de forma pacífica e encerrem essa situação perigosa.

Lam disse hoje (19) que ainda há cerca de 100 manifestantes dentro da Universidade Politécnica de Hong Kong. Um tenso embate continua com a polícia desde o final de semana. Lam afirmou que 600 manifestantes já saíram, e 400 foram presos.

Ela disse que “eles precisam parar com a violência, entregar suas armas e sair pacificamente, obedecendo as instruções da polícia”.

A situação resultou em algumas das mais dramáticas cenas no território desde que os protestos tiveram início mais de 5 meses atrás. Eles foram desencadeados por um controverso projeto de lei de extradição que já foi arquivado. Entretanto, as manifestações de transformaram em um movimento mais amplo pró-democracia.

A escalada da violência agora ameaça o andamento das eleições distritais programadas para domingo. Lam disse que quer que a votação ocorra. Entretanto, deu a entender que há uma possibilidade de que seja adiada caso a população não posso votar com segurança.

Veja também

+ Bolsonaro posta foto com filha e rebate crítica: “Já tomou Caracu hoje?”

+ Faça em casa receita de pudim com milho e leite condensado

+ Ex-capa da Playboy é presa acusada de tráfico de drogas em rede de prostituição

+ Com bumbum à mostra, Ivy Moraes filosofa no Instagram

+ Saiba por que as farmacêuticas vêm testar vacinas no Brasil

+ Namorada de Marco Verratti exibe fotos sensuais

+ Lívia Andrade posa de fio dental

+ Auxílio emergencial: Caixa credita hoje parcela para nascidos em janeiro

+ Google permite ver animais em 3D com realidade aumentada

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?