Economia

Em 2016, vendas do varejo só escapam do vermelho em Roraima, diz IBGE

O comércio varejista mostrou redução no volume de vendas em 26 das 27 Unidades da Federação em 2016, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O único Estado a escapar do vermelho foi Roraima, com avanço de 1,2% em relação a 2015. As perdas mais intensas do ano foram registradas no Pará (-13,1%), Rondônia (-12,3%) e Bahia (-12,1%).



No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, também houve perdas em 26 as 27 Unidades da Federação, com destaque para Amapá (-16,3%), Espírito Santo (-15,0%), Pará (-14,0%) e Tocantins (-13,1%). Roraima, com avanço de 0,7%, foi o único estado que mostrou avanço nas vendas em 2016 também no comércio varejista ampliado.

Maiores impactos

De acordo com o IBGE, as vendas dos hipermercados e supermercados recuaram 3,0% na passagem de novembro para dezembro de 2016, maior impacto negativo sobre o total do varejo no mês, que registrou retração de 2,1%.

Os demais resultados negativos foram verificados em Outros artigos de uso pessoal e doméstico (-3,9%); Móveis e eletrodomésticos (-2,5%) e Livros, jornais, revistas e papelaria (-1,1%).

+ O economista Paulo Gala revela os caminhos para investir bem em 2022



O destaque positivo foi o segmento de Combustíveis e lubrificantes (2,1%), que mostrou avanço após oito taxas negativas seguidas, período em que acumulou uma perda de 6,0%. Também houve expansão em Equipamentos de escritório, informática e comunicação (1,9%); Tecidos, vestuário e calçados (0,1%); e Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (0,1%).

No comércio varejista ampliado – que inclui as atividades de veículos e material de construção – a ligeira queda de -0,1% nas vendas em dezembro ante novembro foi fruto de resultados positivos de Veículos e motos, partes e peças (1,8%) e Material de construção (2,1%), que amenizaram o impacto negativo de supermercados.

Atualização

A PMC passará por uma atualização da base, tendo como referência o ano de 2014. Além disso, haverá uma ampliação da amostra de informantes, selecionados a partir da Pesquisa Anual do Comércio de 2014, informou o IBGE. Atualmente, a base é o ano de 2011.

A nova referência já será usada na próxima divulgação, com os dados de janeiro de 2017. A amostra também passará por uma revisão, informou Isabella Nunes, gerente da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE. A mudança prevê a manutenção de 60% dos atuais informantes, mas renovação dos 40% restantes. A amostra também será ampliada de pouco mais de 5.800 informantes atuais para 6.150 empresas informantes.

“É uma amostra mais atual, e uma estrutura de peso também mais atual. A recomendação internacional diz que de cinco em cinco anos a gente deve fazer isso. A gente está trabalhando com (intervalo de) três anos”, explicou Isabella. “A nova estrutura só vamos saber nos resultados de janeiro de 2017”, completou.

A próxima divulgação da PMC está prevista para o dia 30 de março.


Saiba mais
+ SP: Homem morre em pé, encostado em carro, e cena assusta moradores no litoral
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ Andressa Urach pede dinheiro na internet: ‘Me ajudem a pagar a fatura do meu cartão’
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto