Giro

Elon Musk responde a NASA e diz que poderá salvar a Terra de colisão

Crédito: Divulgação

CEO da Tesla afirmou que para parar um asteroide são necessários apenas foguetes maiores e mais avançados tecnologicamente (Crédito: Divulgação)

Recentemente a NASA admitiu que, com a tecnologia atual, ainda é impossível evitar que um asteroide atinja a Terra, porém, Elon Musk, CEO da Tesla, respondeu à NASA através de redes sociais e sua resposta causou muitas reações.

Por meio de seu perfil no Twitter, o CEO da Tesla respondeu às declarações da NASA e foi enérgico ao garantir que, para parar um asteroide, apenas foguetes maiores e mais avançados tecnologicamente são necessários.

+ NASA não consegue evitar colisão de asteroide mortífero com a Terra

Essa resposta gerou divisão entre os usuários do Twitter, pois enquanto alguns aceitaram o comentário com humor e fizeram piadas, outros garantiram que a declaração era séria e totalmente baseada em fatos científicos, entretanto, o dono de várias empresas de tecnologia não ampliou sua resposta.

A polêmica resposta de Elon Musk foi emitida para responder aos resultados da NASA a respeito de um estudo em que uma simulação do que aconteceria na Terra caso um asteroide atingisse a Terra, que teve como objetivo principal revelar quais são as chaves pontos em caso de um desastre deste tipo.

Na simulação considera-se que o asteroide entre 35 e 700 metros é detectado em abril de 2021 e estimam que teria impacto na Terra seis meses depois, no entanto, a NASA conclui que com a tecnologia atual seria praticamente impossível evitar o impacto que isso destruiria a região ao redor da zona de impacto, então a única solução que restaria seria evacuar a região.

+ Jaguar Land Rover: a luta contra a falta de confiança dos consumidores

Outra possibilidade que se conseguiu é impactar o asteroide com um artefato nuclear, que seria transportado em um foguete potente o suficiente, porém, esta possível solução não é muito animadora, pois por não conhecer a natureza da rocha espacial, o risco de impacto seria seria reduzido, mas não seria eliminado e outras emergências seriam acionadas, então a solução de Elon Musk de construir foguetes maiores não soaria mais tão rebuscada.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel