Negócios

Elon Musk é afastado do conselho de administração da Tesla

Decisão faz parte de acordo com órgão regulador do mercado financeiro dos Estados Unidos após acusação de fraude

Elon Musk é afastado do conselho de administração da Tesla

Elon Musk foi afastado do conselho de administração da Tesla por três anos para evitar um processo do órgão regulador do mercado financeiro dos Estados Unidos. O acordo também prevê o pagamento de US$ 20 milhões em multas. Contudo, Musk ainda mantém o cargo de CEO da companhia.

O fundador da empresa foi acusado de fraude ao publicar um twitte afirmando que considerava tirar a Tesla do mercado de ações, no dia 7 de agosto. As ações da empresa dispararam 11% após o anúncio, mas voltaram a cair logo depois. Para o governo dos EUA, as alegações do fundador da Tesla foram uma forma de manipulação do mercado.

No mesmo período, haviam rumores de que a Arábia Saudita investiria US$ 3 bilhões na compra de 5% das ações da Tesla. Mas, depois da polêmica com o Twitter, nenhuma nova informação foi revelada.

Além do afastamento, Musk não poderá ter influência na escolha do novo presidente do conselho. A decisão também determina que toda a comunicação do bilionário, incluindo suas postagens em redes sociais, passe por uma análise prévia.

Polêmicas

A mensagem sobre tirar a Tesla do mercado aberto é apenas mais um polêmica envolvendo Elon Musk nos últimos meses. Em junho, também no Twitter, ele acusou de pedofilia um dos mergulhares que resgataram um grupo de crianças e um adulto de uma caverna inundada na Tailândia. O caso gerou forte repercussão negativa e corre na Justiça.

No início de setembro, Musk voltou aos holofotes ao fumar maconha ao vivo durante um programa de entrevistas norte-americano. Apesar do uso da erva ser legalizado na Califórnia, onde foi feita a entrevista, as ações da Tesla caíram 9% após a sua divulgação.