Economia

Eletrônicos subiram de preços durante pandemia, diz levantamento

Crédito: Pixabay

Os games sofreram a maior alta do período da pandemia, segundo o Zoom (Crédito: Pixabay)

Um levantamento feito pelo Zoom, plataforma online que reúne preços de diversos produtos na internet brasileira, indicou que os eletrônicos foram os itens com as maiores variações nesses meses de pandemia no País e o dólar pode ter sido um dos fatores para isso.

A companhia dividiu o monitoramento dos preços em três fases: a primeira foi de 1° de fevereiro a 12 de março – antes da pandemia; a segunda entre 13 de março e 22 de abril – logo após os primeiros decretos de isolamento social; e a última de 23 de abril a 1° de junho, quando boa parte do comércio no Brasil começou a reabrir.

+ Comércio eletrônico tem expansão de 65,7% em pedidos de janeiro a maio
+ Abinee reporta queda de 30,3% na produção do setor eletroeletrônico em abril

Segundo o Tecmundo, a equipe constatou que o preço médio dos videogames, por exemplo, era de R$ 1.546,12 em fevereiro, subindo para R$ 2.040,04 em maio, um aumento de 32% entre o pré e a pós quarentena. As filmadoras saíram de R$ 1840,78 em fevereiro, para R$ 2.377,76 em maio, representando uma alta de 29%.

A alta do dólar foi componente importante nas variações e mesmo os produtos nacionais sofreram algum tipo de interferência externa, já que, segundo a companhia observou, podem conter algum componente importado. Além disso, as barreiras físicas para importação de consoles nos portos e aeroportos – afetados diretamente pela pandemia da covid-19, também influenciaram no mercado doméstico.

Complementam a lista de altas as impressoras (alta de 20%), fone de ouvido e headset (+ 15%), câmera digital (+ 11%), smart speaker (+ 11%), computador (+ 7%), notebooks (+ 9%) e home theater (+ 3%).

Os smartwaches puxaram a lista de queda, saindo de R$ 1.028,07 em fevereiro para R$ 806,71 em maio, representando queda de 21,5%. Já as TVs custavam R$ 2.164,06 em fevereiro, caíram para R$ 1.986,98 em abril e voltaram a subir para R$ 2.017,13. Ainda assim, a média foi de queda de 7% no período.

Celulares seguem a lista de quedas, com declínio de 4%, seguido por tablets (- 3,5%) e caixa de som Bluetooth (- 0,3%).

Veja também

+ Bolsonaro posta foto com filha e rebate crítica: “Já tomou Caracu hoje?”

+ Faça em casa receita de pudim com milho e leite condensado

+ Ex-capa da Playboy é presa acusada de tráfico de drogas em rede de prostituição

+ Com bumbum à mostra, Ivy Moraes filosofa no Instagram

+ Saiba por que as farmacêuticas vêm testar vacinas no Brasil

+ Namorada de Marco Verratti exibe fotos sensuais

+ Lívia Andrade posa de fio dental

+ Auxílio emergencial: Caixa credita hoje parcela para nascidos em janeiro

+ Google permite ver animais em 3D com realidade aumentada

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?