Ele está de volta

Fora de produção desde 2007, um verdadeiro ícone da indústria automobilística acaba de ressuscitar. E no mais alto estilo possível. O Aston Martin Vanquish foi completamente repaginado pelo designer que o conhece como ninguém: Ian Callum. Ele foi o responsável por criar a primeira geração dessa fabulosa máquina, que fez sucesso nas pistas e no cinema, ao estrelar um filme de 007. O atual modelo foi batizado de Aston Martin Callum 25 Vanquish, numa referência às 25 unidades que serão fabricadas do carro, cada uma com preço definido pela montadora britânica em US$ 572 mil. Para construir o novo esportivo, foram feitas cerca de 350 alterações de engenharia e design no Vanquish. O interior, por exemplo, apresenta detalhes como o couro Bridge of Weir, um relógio de bolso Bremont e tratamentos de superfície reinventados, com destaque para o painel folheado de nogueira. As modificações mecânicas incluem novas buchas e componentes de suspensão Bilstein, que prometem um manuseio mais ágil e melhor desempenho da máquina.

(Nota publicada na edição 1182 da Revista Dinheiro)

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel


Sobre o autor

Luciana Lancellotti é editora de Estilo da DINHEIRO


Mais colunas e blogs


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.