Empreendedores do Ano 2020

Ele abriu a carteira e com isso ficou ainda mais rico

A decisão de revelar os valores que investe e o retorno obtido com sua estratégia de aplicações é parte do sucesso do Primo Rico, alter ego que fez de Thiago Nigro líder em audiência do segmento no Instagram.

Crédito: Claudio Gatti

MARCA PRÓPRIA O sucesso como influenciador digital em finanças tornou Thiago Nigro uma celebridade, a ponto de lançar uma grife para que seus seguidores possam vestir seus sneakers. (Crédito: Claudio Gatti )

Sucesso na voz de Elvis Presley, a música Walk a Mile in my Shoes fala sobre como é difícil se colocar na pele de outra pessoa. Viver a vida que ela leva. Andar nos seus sapatos, literalmente. Para muitos seguidores de Thiago Nigro, 34 anos, estar na posição que ele ocupa hoje no mundo dos investimentos pode ser um sonho. Além de ter conquistado o respeito de pesos-pesados dos negócios como Abilio Diniz, João Appolinário e Guilherme Benchimol, o empreendedor que começou o próprio negócio do zero é hoje o maior influenciador da web sobre aplicações financeiras, com mais de 7,2 milhões de seguidores no Instagram e 5,2 milhões no Youtube. À frente do Primo Rico, ecossistema de finanças que inclui desde vídeos de aconselhamento até uma plataforma de aplicações na qual é possível investir como Nigro indica, ele se tornou uma celebridade no campo da inspiração para fazer dinheiro. Entre outras razões, pelo fato de seu patrimônio estar na casa de R$ 1 bilhão. Mais que seguir seus passos no mundo das finanças, é possível “andar com seus sapatos”, literalmente.

No início de dezembro, a Fiever, marca do grupo Arezzo&Co, anunciou o lançamento de sneakers (tipo de tênis) criados em parceria com Thiago Nigro e seus seguidores digitais. Enquetes foram feitas nas redes sociais para definir o desenho e as cores da coleção, que inclui ainda um moleton e dois modelos de tênis. O fato de haver uma legião de fãs disposta a se vestir como o Primo Rico comprova a que ponto chegou a sua influência. Nas palavras do fundador e CEO da XP Inc., Guilherme Benchimol: “O Thiago não apenas desmitificou as finanças no Brasil, mas definitivamente entrou no cérebro das pessoas (no bom sentido) e as fez entender a importância de ter disciplina, resiliência e, acima de tudo, visão de longo prazo, para realmente se transformarem em investidores e investidoras de verdade.”

A influência de Nigro sobre os investidores brasileiros coincide com um momento de explosão do número de CPFs cadastrados na B3, a bolsa de valores de São Paulo. Em outubro, o total de pessoas físicas que investem diretamente em ações ultrapassou a marca de 3,2 milhões. Em 2019, havia 1,68 milhão de CPFs ativos — alta de 89%. Além de serem quase o dobro do que eram há um ano, os investidores hoje afirmam se valer das recomendações de influenciadores digitais na hora de aplicar seus recursos. Uma pesquisa divulgada pela B3 na segunda-feira (14), feita em parceria com o instituto Talk a partir de 1.371 entrevistas, revelou que 73% (quase três pessoas em cada grupo de quatro) aprenderam a investir a partir de influenciadores digitais. As plataformas on-line ficaram na segunda posição, com 43%. Em terceiro vêm as recomendações de amigos, com 31%.

“Nunca troque o que você mais quer da vida por aquilo que você mais quer no momento”

FENÔMENO NA BOLSA O excesso de confiança nos influenciadores digitais pode parecer perigoso para quem conhece o comportamento errático do mercado de capitais, condicionado tanto a fatores macroeconômicos do Brasil e do exterior quanto aos próprios desafios de gestão das empresas listadas em bolsa. No caso de Nigro, um dos fatores de êxito é a transparência. “A pessoa não aprende com o que você diz, ela aprende com o que você faz. Por isso eu decidi investir meu patrimônio publicamente”, afirmou Nigro à DINHEIRO. “Todos os meses as pessoas podem ver como um investidor profissional toma decisão. E eu tenho tido bons retornos. Em três anos, desde que abri minha carteira, o rendimento acumulado foi de quase 200%.” Colocar a pele em risco, o que em inglês se chama “skin in the game”, deixou o Primo Rico ainda mais rico — e elevou os ganhos de muitos de seus seguidores.

Se essa estratégia explica parte do sucesso de Nigro como influenciador, é inegável que ele não chegaria ao topo sem conhecer as ferramentas de mar keting digital das quais se utiliza. Este ano, algumas lives em seu perfil no Instagram chegaram a reunir 150 mil pessoas simultaneamente. “Na internet, as pessoas não querem que você fale de cima para baixo. Eu faço com que elas entendam que são capazes de evoluir a partir de suas próprias escolhas”, disse. Uma recomendação: “Nunca troque o que você mais quer na vida por aquilo que você mais quer no momento”. Para ele, o Primo cria empatia por ter se mantido humilde. Ainda que andar com seus sapatos não seja exatamente calçar as sandálias da humildade, essa experiência tem transformado a forma como os brasileiros aprendem a investir.

LEIA MAIS:

.A dona do varejo que inspira uma nação https://www.istoedinheiro.com.br/a-dona-do-varejo-que-inspira-uma-nacao/

.Ânima: todo colaborador é o empreendedor https://www.istoedinheiro.com.br/anima-todo-colaborador-e-o-empreendedor/

.Ela leva cor a quem só enxerga preto e branco https://www.istoedinheiro.com.br/ela-leva-cor-a-quem-so-enxerga-preto-e-branco/

.Crescimento que se põe à mesa  https://www.istoedinheiro.com.br/crescimento-que-se-poe-a-mesa/

.O homem que democratizou a banca https://www.istoedinheiro.com.br/o-homem-que-democratizou-a-banca/