Edição nº 1075 22.06 Ver ediçõs anteriores

Eis os 7 campeões de 2017: Onix, Ka, Prisma, Corolla, Compass, Strada e Toro

Dois carros da Chevrolet, um da Ford, um da Toyota, um da Jeep e duas picapes da Fiat dominam as categorias que representam 93,7% das vendas no mercado brasileiro

Eis os 7 campeões de 2017: Onix, Ka, Prisma, Corolla, Compass, Strada e Toro

Jeep Compass: com apenas 11,9% de participação, conseguiu ser o campeão na disputadíssima categoria de SUVs, destronando o Honda HR-V

Saiu o ranking da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) e a boa notícia é que as vendas de automóveis de passeio e comerciais leves subiram 9,4% em 2017. No total de 2.172.235 licenciamentos, os automóveis responderam por 1.855.874 e os comerciais somaram 316.361. Então vamos ao que interessa: os campeões da temporada de recuperação da indústria automobilística brasileira.

O ranking da Fenabrave tem 17 categorias de veículos leves, mas muitas delas são apenas decorativas. As que realmente contam, em termos de volume, são apenas sete – cinco de automóveis e duas de comerciais. Juntas, elas representam nada menos de 93,7% das vendas internas. As cinco categorias de carros (Veículo de Entrada, Hatch Pequeno, Sedã Pequeno, Sedã Médio e SUV) respondem por 92,7% do seu pedaço; as duas de comerciais (Picape Pequena e Picape Grande) somam 89,7% das vendas desse nicho.

Pela ordem de grandeza de volume, os sete campeões de 2017 foram: Chevrolet Onix (188.654 vendas), Ford Ka (94.458), Chevrolet Prisma (68.188), Toyota Corolla (66.188), Fiat Strada (54.863), Fiat Toro (50.723) e Jeep Compass (49.187). A maior lavada foi da picapinha Strada, que somou 48,9% das vendas de sua categoria. Mas ela concorre com apenas duas rivais (VW Saveiro e Chevrolet Montana). Por isso, na real, a vitória mais expressiva, proporcionalmente, é a do Corolla, com incríveis 43,1% entre os Sedãs Médios. O Corolla é um fenômeno – tanto que em dezembro vendeu mais do que o outrora imbatível VW Gol, ocupando o quarto lugar no ranking mensal. E isso apesar de ter sido desafiado por dois lançamentos de peso (as novas gerações do Honda Civic e do Chevrolet Cruze).

Onix tricampeão

Outra vitória incontestável foi a do Chevrolet Onix, que conseguiu o tricampeonato geral de vendas do Brasil. Em sua categoria, a de Hatches Pequenos, o Onix obteve 37,6% das vendas. E nem a chegada dos novíssimos Fiat Argo e VW Polo ameaçam o reinado do Onix a curto prazo, pois em dezembro o Onix superou a casa dos 17 mil licenciamentos, enquanto o Argo está abaixo dos 6 mil e o Polo ainda não atingiu os 5 mil carros/mês. Vão crescer bastante em 2018, mas não a ponto de ameaçar o campeão.

Já o Chevrolet Prisma, irmão de três volumes do Onix, talvez não tenha a mesma sorte. Ele teve uma vitória tranquila entre os Sedãs Pequenos, com 25% das vendas. Porém, a chegada dos novíssimos VW Virtus e Fiat Cronos, irmãos do Polo e do Argo, podem tornar sua vida um pouco mais difícil.

Quanto às vitórias da Strada e da Toro, apenas confirmam a supremacia da Fiat no segmento de picapes. Se não atingiu os 48,9% da Strada, a Toro teve um desempenho brilhante ao cravar 29,6% numa categoria que possui verdadeiros ícones, como a Toyota Hilux, a Chevrolet S10, a VW Amarok e a Mitsubishi L200. Isso sem falar da renovada Nissan Frontier, da Ford Ranger e da meio esquecida Renault Duster. Não custa dizer mais uma vez que a FCA acertou na mosca ao fazer uma picape monobloco com tecnologia da Jeep sob a marca Fiat.

A guerra dos SUVs

Na categoria mais badalada do momento (a segunda mais vendida), o Jeep Compass destronou o Honda HR-V e tornou-se o novo campeão entre os SUVs e crossovers. Para dar uma ideia da competitividade no mundinho dos SUVs, o Compass venceu a guerra com apenas 11,9% de participação nas vendas. Sua diferença perante o ex-campeão HR-V foi de apenas 1.412 carros e de 0,4%.

Outro carro que teve um grande desempenho em 2017 foi o Hyundai Creta, que fechou o ano com pouco mais de 10%, à frente do Jeep Renegade (9,2%), do Nissan Kicks (8,1%) e do Ford EcoSport (7,5%). Esse segmento é importantíssimo para as montadoras – ninguém ganha dinheiro no mercado atualmente se não tiver um SUV ou um crossover competitivo em sua linha. Essa categoria foi responsável por 414.547 emplacamentos no ano passado, perdendo apenas para os Hatch Pequenos (501.356).  Entretanto, os SUVs ficaram quase 39 mil carros à frente dos Veículos de Entrada (375.750), o que não é nada desprezível num país com baixa renta per capita, como o Brasil.

Além dos citados, os segmentos mais importantes do ano foram os seguintes, pela ordem: Sedã Pequeno (275.687), Picape Grande (171.575), Sedã Médio (153.631) e Picape Pequena (112.182). Com 22,3% de participação, a categoria de SUVs foi a que mais cresceu no ano passado, pois em 2016 ainda estava com 18%. Porém, já é o caso de se perguntar até onde os SUVs podem chegar. Atingirão os 27% dos Hatch Pequenos? Muitos apostam que sim. Mas talvez o mercado desses carros comece a se estabilizar e fique abaixo dos 25%, pois muitos consumidores começam a perceber que existe vida automotiva além dos SUVs. Os novíssimos Polo e Argo estão aí para comprovar essa tese.

 


Mais posts

Yaris chega competitivo e completa a estratégia da Toyota

O novo compacto premium da marca japonesa começa a ser produzido em Sorocaba e fica posicionado entre o Etios e o Corolla

Gol desaba na Argentina, mas Volkswagen ainda é líder

Crise econômica no governo Macri afeta as vendas do carro mais vendido do nosso vizinho sul-americano

Quando o carro mata, a culpa pode ser nossa

Nem sempre o veículo, a estrada ou a sinalização das ruas são os responsáveis pelos acidentes. Veja o que você pode fazer para dirigir [...]

Ford Mustang, um lançamento histórico que esperou 54 anos

Foi uma espera de mais de cinco décadas. Mas agora os consumidores brasileiros que dispõem de R$ 299.900 podem comprar o mito com motor [...]

Carro barato sai do foco e Fiat aposenta o Palio

Depois de 22 anos no mercado, o carro mais vendido de 2014 deixa de ser produzido em Betim e marca a consolidação do novo modelo de [...]
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.