Giro

Egito, Jordânia, França e Alemanha advertem Israel sobre anexação da Cisjordânia

Egito, Jordânia, França e Alemanha advertem Israel sobre anexação da Cisjordânia

O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, usando máscara, chega para presidir a reunião semanal do gabinete em Jerusalém, em 21 de junho de 2020. - POOL/AFP

Ministros das Relações Exteriores de França, Alemanha, Egito e Jordânia pediram a Israel nesta terça-feira que abandone seus planos de anexar partes da Cisjordânia ocupada.

“Concordamos que qualquer anexação dos territórios palestinos ocupados em 1967 seria uma violação do direito internacional e comprometeria os fundamentos do processo de paz”, declararam os ministros após uma videoconferência conjunta.

O governo do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu havia estabelecido o dia 1º de julho como a data em que poderia começar a anexar as colônias judaicas na Cisjordânia e o estratégico Vale do Jordão.

Esta anexação está prevista no plano dos EUA para o Oriente Médio apresentado em janeiro pelo presidente Donald Trump e rejeitado pelos palestinos.

Até agora, Israel não fez nenhum anúncio oficial, o que indicaria apenas que as negociações continuam entre autoridades dos EUA e chefes de segurança israelenses.

“Não reconheceremos nenhuma modificação das fronteiras de 1967 que não tenha sido aceita pelas duas partes no conflito”, disseram os ministros nesta declaração conjunta.

A eventual anexação teria “consequências nas relações com Israel”, alertaram, lembrando o compromisso com uma solução de “dois Estados” baseada no direito internacional.

Nas últimas semanas, a União Europeia (UE) lançou uma campanha diplomática contra este projeto de anexação.

Heiko Maas, chefe da diplomacia alemã, cujo país acaba de assumir a presidência pro tempore (6 meses) do Conselho da UE, viajou a Jerusalém no mês passado, onde expressou “sérias preocupações”.

No entanto, sem o apoio unânime de seus membros, a UE não pode ameaçar Israel impondo sanções econômicas oficiais.

Depois de ocupar a Cisjordânia durante a Guerra dos Seis Dias, em 1967, Israel começou a estabelecer uma rede de colônias ali, cuja construção continua até hoje, embora tenha sido declarada ilegal sob a lei internacional.

Veja também

+Caixa paga hoje (13) auxílio emergencial para nascidos em maio

+Soros produzidos por cavalos têm anticorpos potentes para covid-19

+ Avó de Michelle Bolsonaro morre após 1 mês internada com covid-19

+ Nazistas ou extraterrestres? Usuário do Google Earth vê grande ‘navio de gelo’ na costa da Antártida

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?