Edição nº 1052 12.01 Ver ediçõs anteriores

Efeito colateral

Efeito colateral

Os esforços chineses para erradicar a pobreza estão produzindo um efeito indesejável, porém previsível. Desde 2012, o governo estabeleceu um plano para remover 100 milhões de trabalhadores rurais para as cidades, onde, supostamente, eles teriam mais acesso a empregos e serviços. Porém, segundo um artigo publicado na revista Foreign Policy, muitos camponeses estão com dificuldades em conseguir trabalho. O resultado é que eles acabam ou na rua, ou em casas irregulares. Agora, o governo tenta remover, de novo, essas pessoas para cidades próximas dos grandes centros, mas que contam com ainda menos estrutura.

(Nota publicada na Edição 1052 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Afasta de mim este cálice

O ano começa e a tradicional lista dos maiores riscos globais, elaborada pela consultoria Eurasia, já está circulando. Para quem espera [...]

Doação digital

Os clientes da plataforma de pagamentos PayPal doaram US$ 8,5 bilhões para ONGs e entidades sem fins lucrativos, em 2017. Segundo o CEO da empresa, Dan Schulman, o ano foi marcado por desastres naturais e um cenário de polarização. “Em tempos como esses, é fácil desanimar”, disse. “Mas sempre há razão para manter a esperança.” […]

Jessica Alba perde o unicórnio

A Honest Company, fabricante de bens de consumo criada pela atriz Jessica Alba, perdeu o status de unicórnio, concedido a startups que [...]

Notícia velha

A jornalista britânica Carrie Gracie, correspondente da BBC na China, pediu demissão após mais de 30 anos na empresa. O motivo foi que [...]

É proibido o machismo

A Islândia deu um passo definitivo para acabar com a desigualdade salarial entre homens e mulheres: a partir deste ano, está proibido [...]
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.