Finanças

Economia internacional: saem primeiros balanços do segundo trimestre de companhias americanas – e resultados surpreendem

Início da safra de balanços americanos no segundo trimestre mostra números melhores do que as expectativas pessimistas do mercado.

Crédito: Istock

NETFLIX perda de 970 mil assinantes ficou aquém da redução esperada de 2 milhões, mas analistas ainda querem ver os novos episódios. (Crédito: Istock)

A expectativa dos analistas de ações com a divulgação dos resultados da Netflix, anunciados na noite da terça-feira (19), era comparável à da estreia da última temporada de uma serie premiada. A empresa de streaming é menor e menos relevante do que outras de tecnologia, como Apple e Google. Porém, por divulgar seus números antes, ela serviria como um parâmetro dos números que estão por vir. O mercado esperava resultados ruins, já antecipados pelos próprios executivos da Netflix. No entanto, os números foi menos piores do que o esperado.

A XP Investimentos afirmou que a expectativa do mercado era de um lucro por ação de US$ US$ 2,98, abaixo dos US$ 3,73 divulgados pela empresa. “No entanto, as receitas de US$ 7,97 bilhões ficaram um pouco abaixo da expectativa, que era de US$ 8,04 bilhões”, disseram as analistas Jennie Li, Pietra Guerra e Rafael Nobre, que assinam o relatório. A expectativa de perda de 2 milhões de usuários não se confirmou. A Netflix anunciou que perdeu 970 mil usuários nos últimos três meses.

Outro fator que agradou foi o novo plano de baixo custo lançado em parceria com a Microsoft, em que parte da receita virá de publicidade. A Netflix informou esperar que os preços menores consigam atrair mais um milhão de clientes no terceiro trimestre em termos líquidos, revertendo parte das perdas observadas durante o primeiro semestre deste ano. “Isso deve abrir novas possibilidades de receitas para a empresa”, disse o CEO da Catarina Capital, Thiago Lobão. Para ele, o lucro total de US$ 1,44 bilhão ficou “levemente acima do esperado”.

Segundo o executivo de renda variável da Vítreo, Marcel Andrade, os números da Netflix deram uma acalmada no mercado de ações dos EUA. “Os resultados deixaram os investidores menos pessimistas com as perspectivas para empresas de tecnologia”, disse Andrade.A preocupação dos investidores é pertinente. As “big techs” deverão divulgar seus resultados nos últimos dias de julho, e a incerteza do mercado é grande. Essas empresas são bastante cíclicas. Dependem de juros baixos, liquidez abundante e economia em crescimento, itens escassos nos últimos tempos. Por isso o suspiro de alívio com os números da Netflix, que mostra resiliência para enfrentar o cenário mais adverso.

BANCOS Tradicionalmente, a temporada de lucros começa com os números dos bancos. Os resultados do segundo trimestre não tiveram uma tendência definida. Gigantes como JP Morgan, Citigroup e Bank of America mostraram ou números surpreendentemente bons, caso do Citigroup, ou bem piores do que as expectativas e inferiores aos do mesmo período de 2021 (observe o quadro). Apesar de terem de enfrentar uma inadimplência mais elevada devido ao aumento da inflação e dos custos do crédito nos Estados Unidos, as instituições financeiras foram bem-sucedidas em repassar o aumento dos custos do crédito para os clientes, e também conseguiram se blindar da volatilidade de mercado.

Andrade, da Vítreo, adverte que o momento ainda é de incerteza, tanto para os bancos quanto para as empresas de tecnologia. “O mercado ainda não sabe ao certo o tamanho da iminente recessão que pode tomar conta do globo”, disse Andrade. Ou seja, mesmo que os números tenham sido melhores que o esperado, ele afirma que o cenário ainda pede cautela para o investidor. “Não há dúvidas de que o investidor ainda deve tomar muito cuidado com as empresas de tecnologia”, disse.