Política

E no sétimo dia… ninguém descansou

Segundo texto da MP da Liberdade Econômica, o empregador poderá conceder folgas aos domingos apenas uma vez a cada quatro semanas

E no sétimo dia… ninguém descansou

Apesar do lema de campanha de Jair Bolsonaro ter sido “Deus acima de tudo, Brasil acima de todos”, o domingo pode deixar de ser dedicado apenas ao Senhor. Segundo texto do deputado Jerônimo Goergen (PP-RS), relator da MP da Liberdade Econômica, o empregador poderá conceder folgas aos domingos apenas uma vez a cada quatro semanas. É ruim, mas já foi pior. Versão anterior do texto previa o descanso obrigatório aos domingos apenas de sete em sete semanas.