Política

É difícil prever consequências de comemorações do golpe de 64, diz vice do TJ-SP

O vice-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), desembargador Artur Marques da Silva Filho, afirmou que é difícil prever as consequências judiciais das comemorações do golpe militar de 1964 realizadas após autorização do presidente Jair Bolsonaro.

O desembargador esteve nesta quinta-feira, 28, na formatura em alusão à “revolução democrática”, como é chamado o período entre as Forças Armadas, na sede do Comando Militar do Sudeste, em São Paulo. Em entrevista ao Broadcast Político, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, Silva Filho lembrou que os convites foram distribuídos antes da movimentação de setores do Ministério Público Federal contra os atos.

“É uma coisa restrita. Pelo que entendi, o convite já tinha sido enviado há muito tempo atrás, há mais de dez dias, e ficou em um âmbito restrito, fechado”, disse o desembargador. “É difícil dizer quais são as consequências no futuro.”

Veja também

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+Conheça os 42 anos de história da picape Mitsubishi L200

+ Remédio barato acelera recuperação de pacientes com covid-19

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?