Geral

DW: Turquia prende espiões dos Emirados por suposta ligação à morte de jornalista

DW. Dois supostos agentes de inteligência dos Emirados Árabes Unidos (EAU) foram presos na Turquia, informou a agência estatal de notícias Anadolu nesta sexta-feira. Os promotores de Istambul estão investigando se os suspeitos têm alguma ligação com o assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi. Os alegados agentes foram detidos sob suspeita de “espionagem política e militar” e “espionagem internacional”, disseram os promotores.

Jamal Khashoggi, colunista do The Washington Post, era crítico do príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman e foi assassinado no consulado da Arábia Saudita em Istambul em outubro do ano passado por agentes sauditas. Seu corpo não foi encontrado.

Khashoggi havia ido ao consulado buscar um documento oficial para seu casamento com Hatice Cengiz. Ele nunca saiu do prédio, o que levou Cengiz, que esperava do lado de fora, a pedir ajuda.

Uma alta autoridade turca disse à Reuters que é possível que os agentes de inteligência coletem “informações sobre os árabes, incluindo dissidentes políticos, que vivem na Turquia”. Istambul tornou-se um importante centro de grupos de oposição árabes de todo o Oriente Médio, especialmente a Irmandade Muçulmana.

O partido AK, do presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, tem laços estreitos com a Irmandade Muçulmana, que é vista como uma ameaça às monarquias do Golfo Pérsico. As relações entre a Turquia e os Emirados Árabes Unidos têm sido tensas devido a diferenças políticas e ideológicas sobre Catar, Egito, Irã, Líbia e Síria.