Giro

Duas doses da AstraZeneca protegem quase 100% contra mortes, mostra estudo

Crédito: Arquivo / Governo do Amazonas

Os números foram analisados em um momento de alta circulação da variante Gama (Crédito: Arquivo / Governo do Amazonas)

Um estudo com dados de moradores do estado de São Paulo, com idade superior a 60 anos, vacinados com o imunizante Oxford/AstraZeneca, aponta para uma alta proteção contra Covid-19 após duas doses de aplicação. Os números foram analisados em um momento de alta circulação da variante Gama, registrada inicialmente em Manaus. A pesquisa foi divulgada pela Agência O Globo.

A taxa de efetividade, que é o quanto a vacina funciona no mundo real (fora de estudos clínicos), 14 dias após a segunda dose é de 77,9% para casos sintomáticos, 87,6% para hospitalizações e 93,6% para mortes.

São taxas muito superiores ao observado quando se leva em conta o período de 28 dias após a primeira dose. Nesse sistema, a eficiência para casos sintomáticos é de 33,4%, para hospitalizações é de 55,1% e para mortes 61,8%. Ou seja, a aplicação da duas etapas eleva a potência de proteção do imunizante em mais de 30 pontos percentuais, quando considera-se os óbitos.

+ Flávio Bolsonaro se vacina e posta vídeo com elogios ao pai presidente



A análise preliminar, ainda sem revisão por pares independentes, avaliou os dados de 61.164 paulistas e a performance da vacina no período entre 17 de janeiro e 2 de julho. O trabalho foi desenvolvido pelo grupo Vebra Covid-19, com pesquisadores de instituições nacionais e internacionais.

“O estudo mostra que é necessário o esquema vacinal completo para chegarmos a quase 94% de proteção para mortes na população idosa. É uma proteção maravilhosa”, diz o pesquisador Julio Croda, da Fundação Oswaldo Cruz e da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, ao portal de notícias.

O estudo de efetividade é realizado por meio do cruzamento de diversos bancos de dados. Há, entre eles, os que guardam resultados de testes RT-PCR — moleculares mais confiáveis para a Covid-19 — e o cadastro de vacinados no território paulista. O modelo é baseado em orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para estudos do tipo, que buscam compreender o impacto da vacina no mundo real.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago