Edição nº 1138 16.09 Ver ediçõs anteriores

Drones da UPS agora salvam vidas

Drones da UPS agora salvam vidas

A gigante de logística UPS acaba de lançar o primeiro serviço regular de entrega de amostras médicas com a utilização de veículos aéreos não tripulados. Inicialmente, a novidade irá operar apenas nos Estados Unidos. Se der certo, será levada a outros mercados. “Não é um teste, projeto-piloto ou demonstração. É uma realidade”, diz a presidente da UPS no Brasil, Nadir Moreno. Segundo ela, a UPS fará voos diários entre instalações do complexo médico e campus da WakeMed, na Carolina do Norte, com a permissão das autoridades aéreas americanas, em uma colaboração com a Matternet, líder em tecnologia de drones autônomos.

O primeiro voo, realizado no fim de março, levou amostras de sangue. Esse tipo de transporte oferece uma opção para entrega muitas vezes urgentes, sob demanda, sem atrasos e com redução de custos e benefícios potenciais para salvar vidas. “O atendimento à organizações de saúde é uma prioridade da estratégia da empresa tanto no exterior como no Brasil. Por isso, a UPS vem fazendo investimentos e pesquisando novas tecnologias para melhorar a qualidade de vida dos pacientes por meio de logística e cadeia de fornecimento simplificadas”, afirma a executiva. No Brasil, onde não há data marcada para o início do serviço, a UPS possui dois armazéns especializados em healthcare e serviços desenhados especificamente para farmacêuticas e hospitais.

(Nota publicada na Edição 1115 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Negócio de gente grande

Um dos maiores complexos temáticos do País, o cearense Beach Park deve fechar o ano com crescimento de mais de 20% sobre 2018. O grupo, [...]

Lugar de médico é no shopping

A proliferação das clínicas médicas populares tem levado grandes redes do setor a locais, digamos, pouco convencionais do mercado da [...]

Unidos pelo bilhão

A Duff & Phelps do Brasil, consultoria global de finanças corporativas, e a Kroll, empresa mundial de gestão de riscos e [...]

À procura de imigrantes

Enquanto o Brasil não sabe o que fazer com mais de 11 milhões de desempregados, o Canadá não sabe como preencher suas vagas de [...]

Contrate bem sem olhar a quem

A operação brasileira Oracle, uma das mais importantes da gigante americana de tecnologia, selecionou um recurso da brasileira HRTech [...]
Ver mais