Ciência

Doses de reforço são fundamentais contra a Ômicron, dizem especialistas

Crédito: Governo do Estado de SP

Apesar da falta de dados, comunidade científica acredita que as vacinas vão conter a variante Ômicron (Crédito: Governo do Estado de SP)

Ganhando tração no mundo, a variante Ômicron do Sars-CoV-2, vírus que causa a Covid-19, ainda é pouco conhecida pela comunidade científica, já que foi descoberta na África do Sul há menos de 3 semanas e os dados em torno da mutação ainda são iniciais. Especialistas, porém, já apontam que as vacinas, incluindo as doses de reforço, são a melhor arma até o momento contra essa e demais variantes do Sars-CoV-2, coronavírus que causa a Covid-19.



Raquel Stucchi, infectologista professora da Unicamp e consultora da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), lembra que é crucial manter um intervalo de imunização com doses de reforço a cada 6 meses, no máximo 9 meses. Dessa forma, os anticorpos seguem ativos e preparados para combater uma nova invasão da Covid-19 ao organismo humano.

+ São Paulo registra terceiro caso da variante Ômicron

Desde o mês passado, o Ministério da Saúde do Brasil está adotando um intervalo de aplicação das doses de reforço de 5 meses. Isso significa que você já pode tomar uma dose de reforço (no caso, a terceira dose) se esse prazo já estiver vencido. Para quem tomou a dose única da Janssen, imunizante que passou por modificações na bula, e foi adaptada para conter novas variantes, a segunda dose pode ser aplicada após 2 meses da primeira dose.

Vale lembrar que as campanhas de vacinação locais precisam acompanhar o ritmo nacional. São Paulo, por exemplo, é um estado que está em consonância com as diretrizes federais, mas outras regiões ainda patinam na primeira dose de seus habitantes.

+ O economista Paulo Gala revela os caminhos para investir bem em 2022



Nesta quarta-feira (7), o secretário de saúde do Reino Unido, Sajid Javid, emitiu o mesmo entendimento sobre o intervalo de 6 meses e disse que existe uma possibilidade de as vacinas serem menos eficazes contra a Ômicron. No entanto, elas devem proteger infectados de evoluírem em quadros mais graves. “Nossa melhor forma de defesa ainda continua sendo nossas vacinas”, disse.

Essa opinião é semelhante à de Ugur Sahin, diretor-presidente da BioNTech, desenvolvedora da vacina com a Pfizer. Em entrevista à Dow Jones, ele indicou que mesmo que mais pessoas acabem infectadas, os anticorpos em pessoas vacinadas devem ajudar a combater a variante. “O plano continua o mesmo: acelerar a administração de uma terceira dose de reforço”, comentou ele, que pediu para as pessoas não entrarem em pânico com a Ômicron.

Qual a eficácia das vacinas contra a nova variante?

Essa é uma pergunta que Pfizer, Janssen, Moderna e AstraZeneca – farmacêuticas com vacinas desenvolvidas contra a covid-19 e suas variantes – tentam responder. As companhias já anunciaram que estão pesquisando formas de adaptar seus imunizantes e entender a eficácia contra a nova cepa.

O ministério da Saúde de Israel publicou um relatório nesta terça-feira (30) indicando uma possível eficácia da Pfizer contra a Ômicron. A taxa de eficácia de combate da Pfizer contra o vírus comum é, em média, de 95%, mas no relatório israelense essa taxa caiu para 90% contra a Ômicron. A possibilidade da vacina ajudar na prevenção de sintomas graves é de 93%.

Esses dados ainda precisam de revisão da comunidade científica, mas já apontam bons resultados, segundo Raquel Stucchi. Ela cita uma aparente discordância entre a Moderna, que ontem indicou possível necessidade de fabricar uma nova vacina contra a Ômicron, e os dados preliminares da Pfizer em Israel, mas acredita que isso não seja negativo.

“Apesar deste contraponto entre Moderna e Pfizer, parece que as vacinas vão continuar eficazes”, comentou ela.

Para a especialista, a baixa cobertura vacinal da África do Sul, onde a variante foi detectada, é o principal problema para a leitura real do potencial infeccioso do vírus. E ela alerta exatamente para o mesmo ponto no Brasil, uma vez que estados mais desenvolvidos estão com a campanha de vacinação a pleno vapor, mas regiões mais pobres ainda contam com baixa incidência de vacinados entre a população.

“O Brasil está comemorando um pouco mais de 60% de vacinação completa, mas hoje o que vale é olharmos a porcentagem de pessoas vacinadas há 6 meses. Essa vacinação ainda é muito irregular, já que temos estados do Norte, por exemplo, com 30% de vacinação completa. Se não tivermos algo homogêneo, corremos o risco não só da maior transmissão da Ômicron, mas também do aparecimento de outras variantes, e não sabemos qual será o potencial de ‘maldades’ desta variante que poderá surgir”, alertou Raquel.

Sylvia Lemos Hinrichsen, médica infectologista e consultora em Biossegurança da SBI, acredita que o momento é de observação dessa nova variante, de coletar todos os dados possíveis e aguardar os relatórios oficiais das farmacêuticas. “É muito importante ver, clinicamente, como esses pacientes vão se apresentar, fazendo a diferença de quem teve Covid e está vacinado, daqueles que estão infectados e não foram vacinados”, disse .

O que já se sabe sobre a variante Ômicron?

Sabe-se, por exemplo, que ela apresenta 32 mutações na proteína ‘spike’ (ou espícula), uma parte considerada a “chave de entrada” para o coronavírus no corpo humano, mas os médicos não sabem como é o comportamento dela, no organismo.

Em comparação com a variante Delta, que causou temor em todo o mundo, no início do segundo semestre, os sintomas são diferentes: enquanto na Delta as pessoas infectadas costumam apresentar pulsações elevadas, baixos níveis de oxigênio e perda de olfato e paladar, a Ômicron causa fadiga, dores de cabeça e corporais, além de dores na garganta e tosse.


Saiba mais
+ SP: Homem morre em pé, encostado em carro, e cena assusta moradores no litoral
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ Andressa Urach pede dinheiro na internet: ‘Me ajudem a pagar a fatura do meu cartão’
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto

Tópicos

ações azul Gol coronavírus nova variante África do Sul África do Sul nova variante Namíbia Lesoto Zimbábue Botsuana Eswatini alfabeto grego alfabeto grego completo ano novo salvador cancelado As vacinas são eficazes contra a nova variante? B3 ações nova variante Bolsas Ásia Bolsas china Botswana Brasil brasileiro testa positivo áfrica do sul C MBIO casos da variante omicron no brasil cepa omicron coronavírus CORONAVÍRUS NOVA VARIANTE covid covid eua covid europa covid no mundo Covid-19 crescimento econômico Dimas Covas dimas covas instituto butantan dose de reforço ômicron economia EFICÁCIA eficácia das vacinas eficacia das vacinas do covid europa se fecha variante áfrica do sul exame covid faixa etaria vacina covid sp final de ano fronteira Instituto Butantan Israel nova variante lentidão vacinação Rússia lockdown melhor vacina covid ministério da economia nova cepa variante ômicron mutação mutações nova variante nome das vacinas do covid nova cepa impacto economia brasileira nova cepa omicron nova variante nova variante 2021 Nova variante África do Sul Nova fronteiras nova variante áfrica do sul tem vacina? Nova variante covid África do Sul nova variante delta nova variante do coronavírus Nova Variante EUA lockdown Fauci nova variante EUA restrições nova variante quatro continentes novo coronavírus novo virus omicron o que e omicron o que é spike? o que se sabe omicon brasilia omicrom omicron omicron alfabeto grego Ômicron ameaça ômicron casos Brasil Ômicron contágio omicron covid ômicron Estados Unidos Anthony Fauci Ômicron fronteiras ômicron impacto mercados financeiros ômicron moderna vacina ineficazes Ômicron mutações Ômicron nova variante omicron o agente do espaço ômicron OMS ameaça mundial Ômicron onde surgiu Ômicron países já atingidos Ômicron poder de infecção ômicron presença países ômicron reino unido omicron significado grego omicron sintomas omicron sintomas graves omicron sintomas leves ômicron vacinas ômicron volatilidade ações bolsas Ômicron voos países africanos Ômicronimpacto atividade econômica omnicron OMS onicron Organização Mundial da Saúde (OMS) para o combate à Covid-19 David Nabarro pandemia pcr covid Pfizer pfizer omicron pode tomar a vacina do covid gripada? por que o ano novo em salvador foi cancelado? presidente da Comissão Europeia Ursula von der Leyen variante áfrica do sul programas auxílio nova cepa proteína spike quais os sintomas da nova variante delta quais os sintomas da nova variante Ômicron quais os sintomas da variante delta? qual melhor vacina contra covid? qual melhor vacina covid quanto tempo o covid fica no corpo? quinta onda quinta onda Covid RAQUEL STUCCHI Remover termo: quais os sintomas da nova variante Ômicron quais os sintomas da nova variante Ômicron? restrições sanitárias réveillon réveillon salvador cancelado Rússia confinamento Rússia recorde de casos Rússia recorde de mortes Salvador significado de omicron no grego sintomas da nova variante omicron sintomas leves de covid spike Sylvia Lemos Hinrichsen terceira dose ômicron vacinas reforço nova variante variante áfrica do sul variante áfrica do sul ações bola variante áfrica do sul contágio variante áfrica do sul defesa variante África do Sul disseminação variante áfrica do sul eficácia vacinas variante África do Sul Europa variante África do Sul fronteiras variante áfrica do sul impacto bolsas variante África do Sul imunizantes variante áfrica do sul países variante África do Sul países atingidos variante África do Sul pesquisa variante áfrica do sul presença variante áfrica do sul vacinas variante B.1.1.529 África do Sul muitas mutações Variante delta 2021 Variante delta Auckland variante delta austrália variante delta brasil Variante delta como testar Variante delta eficácia variante delta mais letal variante delta Nova Zelãndia variante delta países Variante delta rio variante delta Sao Paulo variante delta sintomas Variante delta vacinas variante delta volta variante omicron variante omicron sintomas variante omicron vacina vírus