Giro

Doria diz que Queiroga descumpriu acordo feito verbalmente sobre vacina

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), acusou nesta quarta-feira, 11, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, de descumprir acordo verbal para o repasse de vacinas ao Estado. Segundo o governador, o Ministério da Saúde deixou de enviar 228 mil doses de vacinas da Pfizer ao Estado, o que compromete a campanha de vacinação de jovens e adultos.

“Ou o ministro não tem palavra ou sua palavra não vale no Ministério da Saúde”, disse Doria durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

O Ministério, entretanto, rebate a falta de doses e afirma que o desconto do último repasse se trata de compensação por entregas feitas em excesso no passado.

Segundo o presidente do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde, Geraldo Reple, o Estado tem capacidade de ampliar a campanha de vacinação, caso o Ministério da Saúde aumentasse os repasses. “Nós sabemos desde o início que São Paulo tem uma capacidade de vacinar 1,6 milhão de pessoas por dia. Se tivéssemos vacinas, vacinaríamos”, afirmou, ressaltando que, se não fosse o esforço do governo paulista, “ainda estaríamos discutindo vacinas”.



Novo recorde de vacinação no Estado

O Estado registrou na terça-feira, 10, a aplicação de 640,5 mil doses de vacinas em um único dia, batendo novo recorde de vacinação. A maior marca anterior do Estado era de 619 mil doses aplicadas em um dia, registrada no dia 21 de julho.

Com o número alcançado nesta semana, segundo o governador, São Paulo chega a 31% de todas as doses de vacina aplicadas no País.

Segundo dados do governo do Estado, 30,4 milhões de pessoas foram alvo da campanha de imunização contra a covid-19: 11 milhões receberam as duas doses e cumpriram com o cronograma vacinal, 18,3 milhões receberam apenas a primeira dose prevista e 1,1 milhão receberam dose única. Ao todo, foram aplicadas 41,4 milhões de doses.

Ao comemorar o recorde, Doria destacou que o número mostra “a eficiência, a organização e o comprometimento do sistema público de saúde do Estado de SP, tanto a nível da secretaria de Saúde quanto dos 645 municípios”, destacou.

Telemedicina

Durante entrevista coletiva no período da tarde, o secretário estadual de Saúde, Jean Carlo Gorinchteyn, anunciou a ampliação do programa de telemedicina do Estado com 14 hospitais participantes, na Região Metropolitana de São Paulo e no Vale do Ribeira.

Ao todo, o programa deve custar R$ 25 milhões em investimentos por ano.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km