Finanças

Dólar tem máxima em R$ 4,50 com contágio por coronavírus e estímulos

Crédito: Agência Brasil

Coronavírus é um dos responsáveis pela instabilidade no dólar (Crédito: Agência Brasil)


O dólar segue em alta pelo nono dia e renovou máxima em R$ 4,5008 no mercado à vista na manhã desta segunda-feira, 2. O economista da Guide Investimentos, João Maurício Rosal, diz que o mercado de câmbio local sustenta o dólar em alta por contaminação pela dinâmica internacional, onde o índice VIX de volatilidade sobe cerca de 2% e há expectativas de novos estímulos monetários por BCs do mundo, como Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) e Banco do Japão.

Os cenários internos dos países emergentes estão relegados a segundo plano hoje, afirma Rosal.

Dólar têm 9ª alta frente real com apostas em corte de juros por coronavírus

Segundo ele, Brasília deve ter uma semana mais agitada e a relação Executivo e Legislativo poderá entrar no foco nos próximos dias, a depender do tamanho da crise do coronavírus ao longo da semana.

O responsável pela área de câmbio da Terra Investimentos, Vanei Nagem, diz que o mercado está colado à alta do dólar ante peso chileno e mexicano porque não tem motivo para o mercado refrescar agora, com o coronavírus se disseminando no mundo e por aqui.

Tópicos

dólar