Finanças

Dólar tem máxima em R$ 4,50 com contágio por coronavírus e estímulos

Crédito: Agência Brasil

Coronavírus é um dos responsáveis pela instabilidade no dólar (Crédito: Agência Brasil)

O dólar segue em alta pelo nono dia e renovou máxima em R$ 4,5008 no mercado à vista na manhã desta segunda-feira, 2. O economista da Guide Investimentos, João Maurício Rosal, diz que o mercado de câmbio local sustenta o dólar em alta por contaminação pela dinâmica internacional, onde o índice VIX de volatilidade sobe cerca de 2% e há expectativas de novos estímulos monetários por BCs do mundo, como Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) e Banco do Japão.

Os cenários internos dos países emergentes estão relegados a segundo plano hoje, afirma Rosal.

Dólar têm 9ª alta frente real com apostas em corte de juros por coronavírus

Segundo ele, Brasília deve ter uma semana mais agitada e a relação Executivo e Legislativo poderá entrar no foco nos próximos dias, a depender do tamanho da crise do coronavírus ao longo da semana.

O responsável pela área de câmbio da Terra Investimentos, Vanei Nagem, diz que o mercado está colado à alta do dólar ante peso chileno e mexicano porque não tem motivo para o mercado refrescar agora, com o coronavírus se disseminando no mundo e por aqui.

Veja também

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+Conheça os 42 anos de história da picape Mitsubishi L200

+ Remédio barato acelera recuperação de pacientes com covid-19

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

Tópicos

dólar