Agronegócio

Dólar sobe ante real à espera de pistas sobre Fed e com fiscal no radar

Dólar sobe ante real à espera de pistas sobre Fed e com fiscal no radar

Dólar ronda estabilidade ante real com Fed e fiscal no radar

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) – O dólar subia frente ao real nesta quinta-feira, à medida que os investidores aguardavam pistas sobre o futuro da política monetária do Federal Reserve e avaliavam o cenário fiscal doméstico após aprovação pela Câmara do Deputados do texto principal do projeto que altera regras do Imposto de Renda.

Às 10:14, o dólar avançava 0,18%, a 5,1918 reais na venda, depois de oscilar entre 5,1691 reais na mínima (-0,26%) e 5,1990 na máxima do dia (+0,32%). Na B3, o dólar futuro tinha alta de 0,15%, a 5,2316 reais.

Desde que o chair do banco central dos Estados Unidos, Jerome Powell, evitou na sexta-feira passada oferecer sinais claros sobre quando o Fed começará a cortar suas enormes compras de títulos, a moeda norte-americana tem perdido terreno globalmente. O índice do dólar contra uma cesta de seis rivais já perdeu cerca de 1,4% desde que atingiu máximas em nove meses no dia 20 de agosto.



Agora, “investidores deverão seguir acompanhando dados de atividade nos EUA enquanto buscam prever os impactos da variante Delta na atividade global, além de avaliar como isso afeta o cronograma para o início do ‘tapering’ (redução de estímulos)pelo Federal Reserve”, disse em nota Rafael Gabriel Pacheco, da Guide Investimentos.

Segundo ele, as expectativas do mercado estão girando agora em torno do relatório de empregos do Departamento do Trabalho dos EUA, que será divulgado na sexta-feira. Esses dados são os favoritos do Fed para avaliar a saúde do mercado de trabalho, e analistas têm repetido que qualquer resultado abaixo das expectativas pode reforçar apostas de manutenção da política monetária expansionista no país.

No Brasil, a Câmara do Deputados aprovou o texto principal do projeto que altera regras do Imposto de Renda, que manteve a polêmica taxação de lucros e dividendos de 20% e tem sido alvo de críticas de muitos agentes do mercado.

“A não cobrança de impostos sob dividendos vem exatamente devido a uma distorção do elevado imposto de renda de pessoa jurídica e, em uma reforma, a expectativa era de que houvesse ao menos neutralidade de taxa, ou seja, o aumento do imposto sob dividendos se compensaria com a queda no IRPJ”, escreveu Jason Vieira, economista-chefe da Infinity Asset. “Não foi o que aconteceu.”

Além disso, a equipe de pesquisa da Levante Investimentos escreveu que a aprovação do texto “não foi vista como uma vitória do governo na Casa, uma vez que o projeto final ficou bastante distante do entregue pela equipe econômica e deve frustrar as receitas do Executivo”.

Nesse contexto, “há efeito negativo do ponto de vista fiscal para os próximos anos.”

Alguns analistas também chamavam atenção para a notícia de que o plenário do Senado rejeitou a medida provisória que promovia uma espécie de minirreforma trabalhista e criava o Novo Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda.

No último pregão, a moeda norte-americana à vista subiu 0,20%, a 5,1826 reais na venda.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH810KF-BASEIMAGE

Veja também
+ Como podcasts podem ajudar na educação financeira do brasileiro
+ Mistério: mulher descobre que não é a mãe biológica de seus próprios filhos
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km

Tópicos

Updated