Finanças

Dólar sobe ante outras moedas fortes de olho em comércio e indicadores dos EUA

O dólar avançou ante outras moedas fortes nesta terça-feira, 11, no aguardo por desdobramentos em relação ao comércio global e por indicadores com desempenho acima do esperado da economia americana.

Próximo ao horário de fechamento das bolsas em Nova York, o dólar subia para 111,62 ienes, o euro caía para US$ 1,1589 e a libra recuava a US$ 1,3012.

A cautela diante da relação sino-americana continua no radar de investidores. A Organização Mundial de Comércio (OMC) informou hoje que vai atender ao pedido da China para que o país obtenha permissão de impor sanções contra os EUA por não cumprirem medidas antidumping da entidade internacional. O diretor-geral do órgão, Roberto Azevêdo, afirmou que uma audiência sobre o caso deve ocorrer no dia 21 deste mês.

Além disso, o dólar se fortaleceu em meio à divulgação do número de vagas abertas em solo americano, que subiu de 6,822 milhões em junho para 6,939 milhões em julho, de acordo com o relatório JOLTS, acima da previsão de alta a 6,6 milhões. Também foram divulgados hoje os estoques no atacado no país, que avançaram 0,6% em julho ante junho, de acordo com dados sazonalmente ajustados do Departamento do Comércio, em linha com as projeções.

Durante a manhã, a libra chegou a subir ante o dólar e a bater máximas em cinco semanas diante do otimismo do mercado de que possa sair nas próximas semanas um acordo para o Brexit. O ministro de Finanças do Reino Unido, Philip Hammond, anunciou hoje que o presidente do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês), Mark Carney, consentiu em permanecer no posto até janeiro de 2020 para auxiliar no “período bastante turbulento” introduzido pelo Brexit, cuja implementação começa em março do ano que vem. Mais tarde, Hammond afirmou que um acordo entre o Reino Unido e a União Europeia (UE) para o Brexit em seis ou oito semanas é “factível”.

Por outro lado, o dólar recuou ante o dólar canadense, na expectativa pelas negociações entre os EUA e o Canadá, que foram retomadas hoje. O presidente americano, Donald Trump, disse que as conversas “estão indo muito bem” e que os dois lados estão agindo de “boa fé”. Por outro lado, o líder republicado voltou a dizer que “se houver um acordo tudo bem, e se não houver também”.

Entre as moedas emergentes, o dólar avançou ante o peso argentino, sem mostrar reação diante da decisão do Banco Central da Argentina (BCRA) de manter a taxa básica de juros, a de Letras de Liquidez (Leliq) de 7 dias, em 60% ao ano.

Tópicos

moedas