Finanças

Dólar recua ante iene e franco suíço com possível atraso em acordo EUA-China

O dólar recuou ante o iene e o franco suíço nesta quarta-feira, 6, mas se fortaleceu em relação à libra e ao euro em meio a ruídos sobre a assinatura de um acordo comercial preliminar entre os Estados Unidos e a China.

Perto do horário de fechamento em Nova York, o dólar caía a 108,94 ienes e a 0,9922 franco suíço, enquanto o euro cedia a US$ 1,1074 e a libra recuava a US$ 1,2859. O índice DXY, que mede a variação da divisa dos EUA ante uma cesta de seis rivais, encerrou o dia em queda de 0,03%, aos 97,953 pontos.

O apetite por risco, que já diminuía desde ontem nos mercados internacionais, perdeu ainda mais força depois de a agência Reuters noticiar, no início da tarde, que a reunião entre os presidentes americano, Donald Trump, e chinês, Xi Jinping, para a assinatura da chamada “fase 1” do acordo comercial entre os dois países pode ser adiada para dezembro. A expectativa inicial era que o acordo fosse fechado ainda em novembro.

Os investidores já estavam menos otimistas desde ontem, quando o South China Morning Post informou que Pequim quer um “sólido compromisso” de Washington sobre a remoção de tarifas antes de assinar o acordo preliminar.

Também esteve no radar a divulgação do índice de produtividade da mão de obra dos EUA, que recuou à taxa anualizada de 0,3% no terceiro trimestre ante o segundo, no primeiro declínio trimestral desde o quarto trimestre de 2015.

No caso da moeda europeia, dados da zona do euro divulgados hoje foram considerados mistos. O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto do bloco, que engloba os setores industrial e de serviços, subiu de 50,1 em setembro para 50,6 em outubro. Já as vendas no varejo da zona do euro subiram 0,1% em setembro ante agosto, abaixo da expectativa de analistas consultados pelo Wall Street Journal, que previam alta de 0,3% nas vendas.

Em relação à libra, o analista do Western Union Joe Manimbo vê influência de incertezas na política. “O risco político associado às eleições de 12 de dezembro no Reino Unido limitaram o apelo da libra esterlina”, comenta, acrescentando que isso ocorre apesar de temores de um Brexit sem acordo terem diminuído. Hoje, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Jonhson, confirmou que haverá eleição em 12 de dezembro no país.

Ante divisas emergentes, o dólar recuava a 19,1604 pesos mexicanos perto do fechamento em Nova York, mas avançava a 59,6877 pesos argentinos.

Tópicos

moedas