Finanças

Dólar recua ante iene e franco suíço, com impasse em acordo entre EUA e China

O dólar recuou ante o iene e o franco suíço nesta quarta-feira, mas se fortaleceu em relação ao euro e à libra, em um movimento que indica busca por segurança no mercado internacional, após a Dow Jones Newswires noticiar que as negociações comerciais entre Estados Unidos e China estão travadas.

Perto do horário de fechamento em Nova York, o dólar caía a 108,80 ienes e a 0,9897 franco suíço, enquanto o euro recuava a US$ 1,1008 e a libra caía a US$ 1,2849. O índice DXY, que mede a variação da divisa dos EUA ante uma cesta de seis rivais, encerrou o dia em leve alta de 0,07%, aos 98,373 pontos.

No meio da tarde, a Dow Jones Newswires revelou, por meio de fontes, que as conversas entre americanos e chineses para fechar a chamada “fase 1” do acordo comercial chegaram a um impasse em torno de compras agrícolas. Segundo as fontes, Pequim evita fechar um acordo que possa beneficiar apenas Washington. Na terça, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, havia dito que a China estava “começando a fazer grandes compras” de produtos agrícolas americanos.

Antes disso, o DXY chegou a acelerar os ganhos em meio ao discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Jerome Powell, no Congresso americano, mas o otimismo não foi suficiente para apoiar o dólar contra moedas consideradas mais seguras.

No caso da libra, a desacelaração do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) do Reino Unido também pesou. O indicador subiu 1,5% em outubro na comparação com igual mês de 2018, ante alta de 1,7% observada em setembro na mesma base de comparação.

“A inflação caindo ainda mais abaixo da meta do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) valida as decisões de dois dirigentes que na semana passada votaram por um corte na taxa de juros”, analisa Joe Manimbo, analista de mercado do Western Union.

Ante divisas emergentes, o dólar subia a 19,3953 pesos mexicanos e a 59,6661 pesos argentinos perto do fechamento em Nova York.

A moeda americana avançou nesta quarta-feira a 794,60 pesos chilenos, uma alta de 1,83% em relação ao último fechamento. Hoje, o dólar não chegou a ultrapassar a marca de 800 pesos, como ocorreu momentaneamente na terça, mas a máxima intraday foi de 799,20 pesos. A divisa chilena se enfraquece em meio aos protestos que pedem reformas sociais no país e a discussões sobre uma nova Constituição. No fim da tarde, o Banco Central do Chile anunciou que injetará um montante de até US$ 4 bilhões no mercado a partir desta quinta-feira, 14, em operações diárias até o início do próximo ano.

Tópicos

moedas