Finanças

Dólar passa subir com exterior, após queda na esteira da alta de 5,20% no mês

São Paulo, 19 – O dólar inverteu novamente o sinal para o lado positivo e renovou máxima aos R$ 4,0232 (0,50%) no mercado à vista, após ter oscilado predominantemente em baixa desde o início da sessão. O dólar futuro para setembro teve máxima aos R$ 4,0275 (+0,41%).

O operador Cleber Alessie Machado Neto, da corretora H.Commcor, diz que o ajuste de alta é marginal e se alinha ao viés de alta do índice DXY e também da divisa americana frente moedas emergentes ligadas a commodities no exterior em meio à cautela persistente com a desaceleração mundial na esteira do impasse na guerra comercial sino-americana.

Mais cedo, a queda ante o real destoou do desempenho positivo da moeda americana no exterior por causa de um movimento pontual de realização de ganhos recentes acumulados. Até sexta passada, o dólar vinha computando ganhos de ganhos de 5,20% em agosto.

“No exterior predomina a alta do dólar ante iene, franco suíço e divisas emergentes ligadas a commodities e o mercado local se ajusta a seus principais pares”, avalia o profissional.

Segundo ele, a demanda reflete cautela persistente antes das divulgações das atas do Fed e do Banco Central Europeu (BCE) e de um discurso na sexta-feira do presidente do Federal Reserve (Fed, o BC americano), Jerome Powell, durante simpósio anual da instituição em Jackson Hole (EUA).

Tópicos

dólar