Finanças

Dólar cai ante rivais e emergentes com ampla liquidez fornecida pelo Fed


O dólar caiu ante moedas fortes e emergentes nesta terça-feira, 24, com exceção do iene, após o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) ter fornecido ampla liquidez ao sistema financeiro, em meio aos esforços para conter os impactos econômicos da pandemia de coronavírus.

No fim da tarde em Nova York, o dólar subia a 111,62 ienes, o euro avançava a US$ 1,0755 e a libra registrava alta a US$ 1,1737. O índice DXY, que mede a variação do dólar ante uma cesta de seis rivais fortes, fechou em baixa de 0,44%, aos 102,039 pontos.

“A demanda pelo dólar recuou após os esforços hercúleos do Federal Reserve para minimizar o custo econômico do coronavírus”, comenta o analista sênior de mercado Joe Manimbo, do Western Union. Para o especialista do banco americano, uma “sensação nascente de calma” tomou conta dos mercados financeiros após as novas medidas do Fed.

Hoje, a autoridade monetária americana adiou por seis meses mudanças de regras para provisão de crédito a instituições financeiras. Ontem, o Fed havia anunciado a expansão do seu programa de relaxamento quantitativo (QE, na sigla em inglês), que agora será ilimitado, entre outras medidas. Na semana passada, quando a demanda pela segurança e a liquidez do dólar fizeram o DXY passar dos 100 pontos, o Fed estabeleceu linhas de swap cambial com outros bancos centrais.

“Muitos ainda esperam que Washington chegue a um acordo maciço de estímulo fiscal para complementar as ações do Fed”, acrescenta Manimbo, em referência ao pacote trilionário que democratas e republicanos negociam no Senado para conter o impacto do coronavírus.

Para analistas do banco americano Brown Brothers Harriman (BBH), no entanto, o dólar ainda pode voltar a se valorizar, embora o Fed tenha tornado isso mais “difícil”. “Mantemos nossa visão de que a economia dos EUA continua melhor posicionada para lidar com os efeitos do coronavírus e de que o dólar acabará se beneficiando disso”, ressaltam.

Ante moedas emergentes e ligadas a commodities, o dólar caía a 24,9326 pesos mexicanos, a 17,5155 rands sul-africanos e a 63,6901 pesos argentinos, no fim da tarde em Nova York.

Tópicos

moedas