Finanças

Dólar bate mínima em 2,5 anos ante rivais e euro rompe marca de US$ 1,2

O dólar se desvalorizou fortemente nesta terça-feira, 1º, e atingiu o menor valor desde meados de 2018 em sua referência em comparação a rivais. Perspectivas de mais estímulos monetários e fiscais e de aprovação de uma vacina contra o coronavírus alimentaram o apetite por risco nos mercados financeiros e, como consequência, reduziram a demanda pela divisa americana.

No fim da tarde em Nova York, o dólar subia levemente 104,35 ienes. O índice DXY, que mede a variação da moeda dos EUA ante uma cesta de seis pares de países desenvolvidos, fechou em baixa de 0,58%, a 91,268 pontos, no nível mais baixo desde abril de 2018. “Otimismo pela recuperação econômica e busca por risco têm sido os inimigos do dólar neste ano”, resume o analista Joe Manimbo, do Western Union.

Um dia após a Moderna pedir à Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA, na sigla em inglês) dos EUA autorização para uso emergencial de sua vacina para covid-19, a Pfizer e a BionTech fizeram pedido semelhante ao regulador da União Europeia. A expectativa é de que as farmacêuticas recebam um retorno ainda este mês.

Impulsionado pelas perspectivas pelo imunizador, o euro avançava a US$ 1,2064 no horário em questão, acima da marca de US$ 1,2 pela primeira vez desde maio de 2018. A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, reiterou hoje que a instituição está pronta para “recalibrar” seus instrumentos monetários para apoiar a atividade econômica durante a segunda onda coronavírus na Europa.

Analista da BK Asset Management, Kathy Lien também atribui o desempenho da moeda comum à indicadores econômicos um pouco melhores que o esperado. A IHS Markit divulgou, esta manhã, que o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial da zona do euro caiu de 54,8 em outubro para 53,8 em novembro, melhor que a previsão de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, de 53,6.

“Embora a expectativa seja de que o BCE adicione mais estímulos na semana que vem, esse plano foi claramente elaborado para permitir que investidores descontassem a medida. Portanto, mesmo que os prospectos de relaxamento sejam negativos para o euro, a falta de supresa poderá ser positiva para a moeda”, explica Lien.

No Reino Unido, o PMI industrial subiu de 53,7 para 55,6 em novembro, também acima do consenso, de 55,2. Em reação a isso, a libra saltava a US$ 1,3423. A moeda britânica segue sensível aos desdobramentos das negociações por um acordo comercial pós-Brexit, a saída do Reino Unido da União Europeia que será oficializada em 1 de janeiro de 2021.

Ante emergentes, o dólar também demonstrou fraqueza: cedia a 20,0537 pesos mexicanos e a 15,4915 rands sul-africanos.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

Tópicos

moedas