Finanças

Divergência em votos do Fed alimenta realização de lucros no ouro

Os contratos futuros de ouro encerraram o pregão desta quinta-feira em queda, à medida que os investidores deste mercado interpretaram a decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) como não tão dovish (favorável a estímulos monetários) quanto o esperado.

Na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), a onça-troy do ouro para dezembro caiu US$ 9,60 (-0,63%), para US$ 1.506,20.

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) anunciou na quarta um corte de 0,25 ponto porcentual nos Fed funds, para o intervalo entre 1,75% e 2%. A composição dos votos, no entanto, expôs divergências: dois dirigentes – Esther George, da região de Kansas City, e Eric Rosengren, da distrital de Boston – votaram pela manutenção dos juros e um – James Bullard, de Saint Louis – queria reduzir a taxa básica em 0,50 ponto porcentual.

Na visão de alguns analistas do mercado de ouro, essa disparidade abre espaço para dissidências futuras, apesar de o presidente da instituição, Jerome Powell, sinalizar espaço para mais cortes dos juros.

“A pressão de queda nos preços do ouro vem à medida que o mercado do metal vê que o Fed não será rapidamente atraído para outra redução da taxa”, disseram analistas da Zaner Metals, em um relatório diário.

O analista do Commerzbank Daniel Briesemann apontou outro trecho da fala de Powell como um fator de baixa do ouro. “Ao reforçar que o Fed seguirá tomando suas decisões com base em dados, acreditamos que ele não se comprometeu explicitamente a mais cortes nas taxas.”

Juros mais baixos estimulam os contratos de ouro, uma vez que eles são vistos como uma reserva de valor maior que os títulos americanos e o dólar ante outras moedas. A percepção de uma política monetária mais frouxa fez o metal acumular ganho de quase 15% este ano. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tópicos

mercado de ouro